26 de mai de 2017

Cicatrizes de aço (Victoria Aveyard) – 52 Weeks Project 2017


Título: Cicatrizes de aço
Autora: Victoria Aveyard
Mês: Maio
Editora Seguinte, 98p.

Diana Farley, cujo codinome é Ovelha, é uma das líderes da rebelião vermelha. Quando ela finalmente tem a chance de comandar uma missão sozinha, começa a ficar receosa pelo fato de que antes sempre estava acompanhada de seu comandante, codinome Carneiro. Suas ordens agora são para se dirigirem para Harbor Bay, identificado como o lugar mais viável em Norta para se semear a rebelião, e recrutar todo tipo de gente para um primeiro ataque a capital. No meio do caminho, ela conhece Shade Barrow, que tem interesse em se juntar a Guarda Escarlate e cujo reconhecimento da irmã no meio da cerimônia de escolha de uma noiva do príncipe pode ajudar em muito a rebelião.

Demorei bastante para pegar o ritmo desse ebook, apesar de ser tão curto. Fiquei tentando situar os personagens na história do primeiro livro, ver se algum deles já havia sido mencionado antes. Fui levando a leitura, porque seja o livro que for, comecei, tenho que terminar, mas a história não conseguiu prender a minha atenção. Talvez se eu tivesse lido o primeiro livro e logo em seguida esse ebook, mas como não foi o caso... Recomendo porque complementa a história principal.

24 de mai de 2017

Doctor Who (Tommy Donbavand) – DL L&T 2017


Título: Doctor Who: a mortalha da lamentação
Autor: Tommy Donbavand
Mês: Maio
Tema: Ficção científica
Editora Suma de Letras, 176p.

A TARDIS parou de funcionar, e Clara e o Doutor não sabem em que época estão. Enquanto isso, as pessoas estão vendo os rostos de seus mortos por toda parte. A repórter Mae Calllon vê a avó em uma mancha de café; o guarda Reg Cranfield vê o pai na névoa ao longo de uma estrada; o agente do FBR Warren Skeet vê o rosto do parceiro morto nas gotas de chuva no vidro da janela; o médico Andrew Ross vê a esposa morta em uma poça de sangue no chão... Aí o Doutor percebe que aquele dia não é um dia comum, é a manhã seguinte ao assassinato do presidente John F. Kennedy. E que os rostos são as Mortalhas, que se alimentam da tristeza alheia. Agora, Clara e o Doutor terão que achar uma forma de impedir que as Mortalhas consumam a humanidade, mesmo que para isso o Senhor do Tempo tenha que reviver memórias muito particulares e dolorosas...

Toda vez que eu leio algum livro do Doctor Who, eu tenho que fazer uma pesquisa na internet para verificar algum personagem ou acontecimento que eu suspeito que terá um alguma significância na história (nunca vi a série, então é preciso pesquisar. Dessa vez, eu quase acertei no aspecto do luto do Doutor). O livro, apesar do nome, não é tão obscuro quanto se poderia pensar, considerando o título, e isso é bom. Eu ri em algumas partes e fiquei completamente chateada em outras. Gostei da forma como os personagens se interligam, e do jeito como o Doutor soluciona a história. Mais um livro super indicado.

22 de mai de 2017

A formatura (Joelle Charbonneau) – DL L&T 2017


Título: A formatura
Autora: Joelle Charbonneau
Mês: Maio
Tema: Distopia
Editora Única, 318p.

Entre Tomas, seus estudos, a preocupação com o irmão no meio dos rebeldes, o estágio e amizades inesperadas, Cia se vê as voltas com a verdade sobre a rebelião. O que ela não imaginava é que a presidente iria designá-la para uma missão muito séria: uma que irá acabar com as atrocidades do Teste de uma vez por todas. Ao aceitar, Cia precisa pensar em quem ela pode confiar para ajudá-la. Tomas está do seu lado, Raffe a ajudou e a acobertou, e ela gosta de Enzo, mas e o restante? E Stacia e Will? Será que ela confia neles? Seus questionamentos aumentam a medida que ela amadurece e ela se vê novamente não seguindo o conselho de seu pai: “Não confie em ninguém!” Porque ela não pode fazer tudo sozinha e precisa de ajuda, mesmo que venha daquele que menos se espera.

Confesso, não sei o que sentir depois de ler esse livro. Como toda distopia, a história começa cheia de ação, em seguida vem o terror (porque vamos combinar, distopia está virando sinônimo de “Não se apegue a nenhum personagem porque ele provavelmente vai morrer”), e depois vêm aquela sensação de “E agora? Acabou?”. É como se toda aquela ação diminuísse (até porque as coisas começam a ser resolvidas) até os personagens terem finalmente paz. Não sei lidar bem com o final de distopias desde Esperança, é como se eu não quisesse aceitar que tudo acaba, que os sobreviventes agora vão reconstruir seu mundo, as lutas acabaram, como se depois de tanta morte sem sentido (vide Prim, porque essa morte nunca vai fazer sentido para mim), ninguém merecesse tranqüilidade. Horrível isso, eu sei, mas é essa a sensação. O bom do livro é que as reflexões de Cia, que são uma constante na história, deixam o leitor analisando junto com ela o que é certo e errado, quem é mau ou bom. Novamente a autora consegue chamar a atenção para aquela questão: o líder que quer acabar com o terror mas que, quando você observa melhor, não se mostra tão simpatizante dos sofredores assim. Não que a presidente seja uma traíra, mas eu fiquei com o pé atrás com ela. Um final de prender a atenção do início ao fim.

19 de mai de 2017

Descendência (James Frey) – 52 Weeks Project 2017


Título: Descendência
Autor: James Frey
Mês: Maio
Editora Intrínseca, 163p.

Declan está com a filha nos braços quando eles chegam. Num flash, ele relembra que por não querer que Aisling fosse a próxima Jogadora, ele fez tudo que fez. Declan tenta explicar o perigo desse destino para a esposa, Lorelei, mas talvez por conta de anos de segredos, ela não entende. Então ele espera ela dormir e rapta a filha. A fuga vara a noite enquanto a busca por uma criança desaparecida tem início. Declan avisa onde está para a esposa, mesmo sabendo que ela irá trai-lo. Quando ela aparece com seu pai e Molly, uma jogadora que ele ensinou a ser implacável, acaba matando Lorelei. Declan foge e escapa várias vezes até cansar. É quando eles o encontram e o destino de Aisling começa a ser moldado.
Shari Jha será uma Jogadora. Ela sempre soube o que fazer, como controlar sua mente. Em um dia normal de escola, ela conhece Jamal e o convida para tomar um chai. Os dois conversam muito e Shari fica surpresa com a quantidade de informação pessoal que Jamal dá a ela sem que eles se conheçam de verdade. Eles se tornam amigos e depois namorados. Ela fica incomodada de estar sempre mentindo e fica esperando o dia em que ela poderá contar a verdade chegar. Só que um acidente faz Jamal perceber que Shari é muito mais do que diz ser. E agora a vida dos dois vai mudar drasticamente.
Maccabee está em uma missão. Ele deve roubar um pendrive de uma grande executiva muito rica, e sabe o que deve fazer para conseguir isso. Ele tenta seduzi-la, mas seu jogo dá errado porque Serena é muito mais esperta do que ele. Apesar disso, eles passam a noite conversando sobre o filho dela, que é colega de quarto de Macccabee, e sobre a vida dele (ou pelo menos o que ele pode contar de verdadeiro). Acaba que Maccabee consegue completar sua missão, mas começa a questionar, a despeito de si mesmo, a relação que tem com sua mãe.
Baitsakhan gosta de causar dor. Aos seis anos, ele e outras crianças começam os testes para eleger o Jogador. Vitorioso, descobre que gosta de ser porque gosta de matar. Ele despreza tudo e todos, tendo prazer em causar dor naqueles que lhe são mais próximos, matando-os para que deixem de ser inconveniências em sua vida. Baitsakhan finge aprender os princípios que seu treinador quer passar para ele, só gosta de assimilar os ensinamentos sobre práticas de matar. Cansado de fingir ter uma humanidade que nunca teve, ele não vê a hora de ser um jogador de fato.

Eu não tenho muita coisa para dizer desse ebook, só que como a primeira dessas pequenas histórias complementares ao primeiro livro de Endgame, prende completamente a atenção. O primeiro ebook falou sobre as origens de alguns jogadores; este falou da descendência de antigos jogadores que, de certa forma, acaba ligada aos jogadores atuais. Eu não consegui largar. Recomendo.

12 de mai de 2017

A crônica de fogo (John Stephens) – 52 Weeks Project 2017


Título: A crônica de fogo
Autor: John Stephens
Mês: Maio
Editora Suma de Letras, 308p.

Dr. Pym, depois de uma aventura perigosa, manda Kate, Michael e Emma de volta pra o Lar Edgar Allan Poe para Órfãos Incorrigíveis e Desamparados, mas seus inimigos acabam invadindo o lugar e na tentativa de fuga, Kate acaba viajando para uma Nova York de cem anos atrás. Lá, ela conhece Rafe e sem saber como, sente que ele está ligado a ela de alguma forma. No presente, Michael e Emma se vêem as voltas com o desaparecimento da irmã. Esperando que ela volte logo, eles e o Dr. Pym vão em busca do segundo volume dos Livros do Princípio, e acabam se metendo em várias confusões e enfrentando inimigos cada vez mais perigosos. Kate acaba voltando ao presente, mas o preço desse retorno será sentido por todos.

Eu não me lembrava de muita coisa do primeiro livro. Aliás, eu fiquei um pouco confusa e só fui entender a história no final. Já neste segundo livro, apesar de demorar para pegar o embalo, a partir da metade do livro a história melhora e muito e não se consegue largar. Tem uma única viagem no tempo, dessa vez, e o mistério sobre quem seria o garoto Rafe prende a atenção. O legal é que os capítulos alternam entre passado e presente e no final, tudo se interliga. E o final mesmo é simplesmente enlouquecedor, não vejo a hora de ter o terceiro livro em mãos, até porque depois que você descobre que Michael é destinado ao segundo livro e qual é o terceiro volume, não dá para não imaginar que algo de muito triste pode vir a acontecer no final da trilogia. Muito recomendado.

8 de mai de 2017

O conto da deusa (Natsuo Kirino) – IDY 2017


Título: O conto da deusa
Autora: Natsuo Kirino
Mês: Maio
Tema: Autor japonês
Editora Rocco, 278p.

Kamikuu e Namima são irmãs. Elas vivem com a família em uma ilha ao sul de Yamato. Kamikuu é a mais velha, e aos seis anos ela sai de casa para se preparar para se tornar o próximo Oráculo. Namima sofreu com a separação da irmã querida, o que ela nunca imaginou é que ela mesma teria um papel a desempenhar dentro dos costumes cruéis de sua gente. Pois aos dezesseis anos, Namima agora se tornou a guardiã do Amiido, local em que os mortos são enterrados. A obrigação de Namima, desse dia em diante, até a morte de sua irmã, a nova Oráculo, é velar pelos mortos. A jovem jamais imaginou que seria esse seu destino e se desespera, ainda mais por causa do romance proibido (e seu fruto) com o jovem Mahito, um jovem que faz parte de uma família de renegados. Eles fogem e Namima dá a luz uma menina, Yayoi. E mais uma vez sua vida dá uma guinada: ela é assassinada, sem entender por quê. No mundos dos mortos, ela descobre muito sobre os deuses, a criação do mundo, os acontecimentos de sua vida e finalmente assume seu papel como sacerdotisa das trevas e dos mortos.

Esse livro foi (mais ou menos) uma surpresa. Tenho ele na estante faz um tempinho, comprei por causa da capa e porque eu nunca havia lido nada de nenhum autor japonês. Li a sinopse e gostei, achei que devia guardar para algum desafio literário (e de novo, acertei). Confesso que no início eu li direto, não conseguia parar por causa das reviravoltas que esperava que acontecessem. E aconteceu uma, que me surpreendeu demais e fiquei sem saber o que esperar da história. É a partir desse ponto, em que a autora começa a falar dos deuses e da criação do mundo de acordo com lendas japonesas (eu só reconheci Amaterasu dos meus estudos antigos sobre lendas mundiais) que eu me perdi um pouco e comecei a achar a história arrastada. Depois que começa a mostrar a vida dos personagens, resultado do acontecimento-reviravolta, que a história volta a ficar emocionante. O engraçado é que você sabe que o tempo passa, mas não existem datas nem medições, então algumas coisas surpreendem quando você nota, por exemplo, o crescimento e nascimento de alguns personagens. Eu gostei bastante, o final foi inesperado, o que só acrescentou a história como um todo. Completamente recomendado.

5 de mai de 2017

Fazendo meu filme em quadrinhos vol. 1 (Paula Pimenta) – 52 Weeks Project 2017


Título: Fazendo meu filme em quadrinhos: antes do filme começar
Autora: Paula Pimenta
Mês: Maio
Editora Nemo, 78p.

O aniversário de Leo está chegando e Fani quer fazer algo especial para seu melhor amigo, até como forma de agradecer o CD que ela ganhou dele. Com a ajuda de seus amigos, Fani resolve fazer uma festinha surpresa. O dia chega, está tudo pronto e a surpresa dá certo. Só que quando a noite termina, Fani se surpreende pensando em Leo e se ele está gostando de alguma menina...

Aí está uma história que desde que conheci, achei que seria o máximo ver algumas ilustrações. Fiquei muito além de feliz quando anunciaram que viraria HQ e fiquei no aguardo para comprar. Já tenho ele na minha estante faz um tempinho, apesar da curiosidade imensa de ler e ver como seria Fani, Leo e todos os outros. AMEI! Não tem outro jeito de dizer, eu simplesmente adorei essa HQ. A história não está nos livros da série, é mais um complemento, o que eu também gostei. Ainda tenho o quarto livro da série para terminar, mas agora acho que vou ler as HQs primeiro, só para ver em quais partes elas vão se encaixar. Como todo livro da Paula Pimenta, completamente recomendado.

3 de mai de 2017

O paraíso perdido (John Milton) – IDY 2017


Título: O paraíso perdido
Autor: John Milton
Mês: Maio
Tema: Gênero que menos gosta
Editora Martin Claret, 485p.

Sinopse: Um dos pilares da cultura de língua inglesa, John Milton é um clássico em que a erudição épica renascentista se associa à sonoridade retórica e religiosa do barroco. Sua obra-prima é a epopéia Paraíso Perdido (1667), em que recria o conflito entre Lúcifer e Deus com uma metafísica monista e uma espécie de materialismo cristão. Composta de 12 livros e escrita em pentâmetros ingleses, a obra apresenta a inovação dos versos bancos (sem rima), com extraordinário senso de ritmo e sonoridade.

Todo mundo sabe que eu sou uma negação na leitura de poesias. Simplesmente me cansa e me enjoa rápido então é muito difícil eu ler livros do tipo. Tive que abrir uma exceção dessa vez, e não me arrependi. Na verdade, eu queria ter lido esse livro faz mais tempo, desde que comecei a estudar Tolkien e suas influências, e não me arrependi. Tem alguns livros na literatura atual que tratam dessa temática, dos anjos decaídos, e eu nunca consegui ler, mas Milton escreve de um jeito que é impossível não ficar presa na leitura. Enquanto lê, parece que você está vendo cada uma das cenas (a serpente tentando Adão e Eva, eles sucumbindo ao proibido, Gabriel tentando impedir Satã de seduzir Eva…), devido a força das palavras. Eu juro que fiquei arrepiada em vários momentos. Completamente indicado.

1 de mai de 2017

Spirit animals 2 (Maggie Stiefvater) – IDY 2017


Título: Spirti animals 2: a caçada
Autora: Maggie Stiefvater
Mês: Maio
Tema: Com animal na capa
Editora Fundamento, 176p.

Abeke agora faz parte do grupo dos Casacos Verdes. Junto a Connor, Rollan e Meillin, acompanhados de seus espíritos animais, devem partir em uma nova missão em direção ao norte de Eura, em busca de Rumfuss, o Javali. Eles devem encontrar o talismã do Grande Javali antes que Zerif, o Conquistador, o ache primeiro. Eles só não imaginam que Zerif conseguiu forçar uma ligação entre humanos e animais, semelhante a das crianças com os espíritos das Grandes Feras, mas que não é natural. Essa ligação forjada tem o objetivo de dar aos Conquistadores um exército que se equipare aos convocados dos Casacos Verdes. Até chegar ao destino, os quatro jovens passam por muitos problemas e perigos, descobrindo novas ligações com suas Grandes Feras e aprendendo novas lições sobre essa conexão.

Eu nunca havia lido nada dessa autora, Maggie Stiefvater, apesar de muita gente recomendar os livros dela. Gostaria de poder dizer que eu gostei da escrita dela, mas não sei se posso fazer isso porque essa série, Spirit animals, é escrita por autores diversos, eles simplesmente devem pegar o gancho do livro anterior e continuar de onde parou, então não dá para julgar uma autora que continuou uma história já existente. Sim, eu sei que cada autor tem seu modo de escrever e narrar, mas ainda assim. Então só o que eu tenho para falar de verdade é sobre o livro, que é ótimo. Ele nem é tão grande, a autora não se demora em descrições, a ação é constante, por isso não dá para largar o livro. Eu adoro as ilustrações das capas, são lindas demais, e especialmente adorei a capa desse segundo por causa do novo personagem introduzido na história (amo gatos!). Ainda não me entusiasmei para participar do jogo online, mas uma hora vai. Recomendo.