30 de mar de 2016

Doctor Who (Gareth Roberts) – DL L&T 2016



Título: Doctor Who: Shada
Autor: Gareth Roberts
Mês: Março
Tema: Sci-fi
Editora Suma de Letras, 345p.

Estamos em Cambridge, final dos anos 70. Um certo estudante de pós-gradução chamado Chris Parsons vai em direção a sala do professor Chronotis em busca de alguns livros emprestados. Um dos livros chama sua atenção, e ele não faz idéia de que o objeto, chamado “O venerável e ancestral livro das leis de Gallifrey”, está sendo procurado por Skagra. O livro é a chave para Shada, um planeta que serve de prisão para os Senhores do Tempo criminosos. Outras pessoas que também procuram o livro com o objetivo de evitar que caia nas mãos erradas é o Doutor e Romana, mas eles acabam chegando tarde demais. De posse do livro, Skagra dá início ao seu plano:

[...] Vou criar propósito e sentido. Vou salvar o universo de si mesmo, do caos.

Em palavras mais claras, Skagra, que havia concluído que Deus não existia desde pequeno, quer ele mesmo fazer com que sua mente seja a mente universal, a mente de Deus. Nessas alturas, Clare, amiga de Chris, também já estava muito envolvida em toda a confusão da busca pelo livro. Juntos, o Doutor, Romana, Chris e Clare partem para impedir que Skagra chegue em Shada e liberte o antigo criminoso Salyavin. O que Skagra não faz idéia é de que Salyavin está mais perto do que ele imagina...

Eu sou iniciante no mundo de Doctor Who. Desde o ano passado que me interessei pela série, e como acontece comigo no que se refere as séries que assisto hoje em dia, eu comecei a ver essa por pedaços (episódios aleatórios, de várias temporadas, e digo que Peter Capaldi está se tornando o meu Doutor favorito), ainda não tomei coragem para começar a ver desde 2005, mas uma hora vai :P Enfim. Soube que além da série, haviam livros, mas como eu ainda não sabia muito sobre a história e sabia que os livros eram como derivados da série, eu comprei alguns mas só queria ver depois de ver pelo menos metade das temporadas atuais, o que seria impraticável no momento, então desisti dessa idéia. Quando saiu o tema do desafio esse mês, nem precisei pensar muito. Este livro é a transformação em prosa do roteiro de um episódio da série escrito por Douglas Adams, na época do 4º Doutor e Romana II. Apesar do episódio ter sido filmado e nunca ter ido ao ar, algumas partes aparecem no especial The Five Doctors. Achei um trailer de cinema desse especial:



Curti bastante a história, me surpreendi em alguns momentos, dei boas risadas e agora estou mais ansiosa para começar a ver essa série direito. Deu pra perceber porque, desde o início, as aventuras desse Senhor do Tempo vêm encantando tantas pessoas de todo o mundo. Não levei muito tempo para ler, na verdade eu devorei o livro em dois dias (isso porque eu trabalho, senão teria sido somente em um). Recomendo o livro e recomendo a série.

28 de mar de 2016

The Hunger Games (Kate Egan) – IDY 2016



Título: The Hunger Games: the official illustrated movie companion
Autora: Kate Egan
Mês: Março
Tema: Escrito por mulher
Editora Scholastic, 160p.

Recheado de imagens conhecidas da época da divulgação do primeiro filme de Jogos Vorazes e outras nem tanto, esse livro de making of faz inicialmente um breve histórico sobre o enredo. A autora fala sobre as audições e testes para os principais papéis e como Suzanne Collins tranqüilizou Jennifer Lawrence sobre o papel; sobre os sets de filmagem e as diferentes pessoas que habitam o mundo de Panem; sobre filmar e o legado de Jogos Vorazes.

Livro bem legal, mostrando os bastidores do primeiro filme da série Jogos Vorazes. As imagens são muito bonitas e as curiosidades são ótimas. Adoro quando esses livros mostram os autores dos livros adaptados envolvidos nas filmagens e na preparação dos atores. Leitura curtinha, agradável e indispensável.

25 de mar de 2016

A namorada do meu amigo (Graciela Mayrink) – RC 2016


Título: A namorada do meu amigo
Autora: Graciela Mayrink
Mês: Março
Tema: Com título que começa com primeira letra do nome
Editora Novo Conceito, 334p.

Juju ou Juliana era apaixonada por Cadu desde criança, mas ele e seus amigos Beto e Caveira nunca gostaram da menininha que vivia atrás deles querendo ser um dos três mosqueteiros, e Cadu dá graças a Deus quando Juju vai embora da cidade. Anos depois ela volta, e Cadu descobre que ela e Beto estão namorando e não acredita, mas quando vê a moça, ela está totalmente mudada. Sem conseguir tirá-la da cabeça, ele logo percebe que está se apaixonando, mas Beto é seu melhor amigo. Ao mesmo tempo, Alice, irmã de Beto adora Cadu, mas por causa de um pacto entre os três amigos que proibiam ele e Caveira de dar em cima das irmãs de Beto, nada podia acontecer. Mas Beto libera e Alice começa a namorar com Cadu, apesar dele não ter esquecido Juju...

Desde que eu soube desse livro, fiquei louquinha para conseguir, tinha gostado bastante de Até eu te encontrar, da Graciela. Gostei da leitura desse também, o livro é dividido em 40 capítulos, mas eles não são muito grandes, o que eu adoro em um livro que tem muitos capítulos. Leitura fluída, o romance é bonito, e a história prende (fiquei agoniada querendo saber de que jeito o triângulo amoroso se resolveria). Recomendo.

23 de mar de 2016

Os arquivos perdidos (Pittacus Lore) – RC 2016


Título: Os arquivos perdidos: os legados do número Cinco
Autor: Pittacus Lore
Mês: Março
Tema: Spin-offs de uma série
Editora Intrínseca, 95p.

A vida de Cinco não foi das mais fáceis. Ele e seu cêpan até viviam confortavelmente, apesar de fugidos. Viveram em Montreal, mas os mogs os encontraram e eles fugiram de novo. Foram várias viagens e mudanças de identidade, e sem ninguém saber como, a saúde de Rey, o último nome que seu cêpan assume, vai se deteriorando a cada dia. Eles acabam indo morar no Caribe, em uma ilha afastada de tudo e todos, pensando que o clima pode ajudar Rey, mas é inútil. Quando seu cêpan morre, Cinco não tem chance de contar a ele que começou a desenvolver seus legados. Se vendo sozinho, ele decide voltar para Martinica, lugar onde eles viveram por um tempo. Mas graças a um poder que ele não sabia que tinha, acaba indo parar em Miami, onde uma nova vida irá começar para ele e onde ele será colocado frente a frente com a escolha entre se render aos mogs ou lutar com a Garde. 

Foi bem estranho ler esse livro depois de ler A queda dos cinco, depois de ver tudo que Cinco fez. Claro que gostei de ver como ele se virara, se o que ele havia dito no livro cinco da série era verdade e como ele havia mudado de lado e porquê. Não entendi bem o final, mas depois me toquei quem era o alvo que ele estava visando... Recomendo.

21 de mar de 2016

O lado bom da vida (Matthew Quick) –RC 2016


Título: O lado bom da vida
Autor: Matthew Quick
Mês: Março
Tema: Sobre doença mental
Editora Intrínseca, 256p.

Pat Peoples está na faixa dos 30 anos e se encontra internado em uma clínica psiquiátrica. Mas ele não se lembra do por quê havia sido internado nem quando isso aconteceu, sua única memória diz respeito a sua mulher, Nikki, e ao fato de que eles estavam separados por um tempo. Por isso, ele passa seu tempo na clínica malhando e se cuidando, ficando bonito para a esposa. Sua mãe faz o tira da clínica e faz todo o possível para que ele não perca o controle e tenha que voltar a ser internado. O que Pat não sabe, e que ninguém diz, é que existe uma ordem judicial impedindo Pat de se aproximar de Nikki. Enquanto sua relação com sua mãe é boa, com seu pai passa a ser reconstruída através do desempenho do time de coração do pai dele, os Eagles. Pat é bipolar, mas não sabe o que é isso nem como tratar. Seu terapeuta fanático por futebol americano, Dr. Patel, ajuda-o a entender sua condição e a voltar a conviver com sua família e amigos, e a controlar sua ansiedade de voltar para a ex-esposa. Durante um jantar, ele conhece Tiffany, uma mulher tão ferrada emocionalmente quanto ele. Através dessa convivência, Pat e Tiffany acabam ajudando um ao outro a superar seus problemas e a buscar um final feliz para seus jeitos únicos de ver a vida.

Comprei esse livro na mesma época em que me interessei a ler Guerra dos tronos. Sim, nada a ver, só falo isso pra mostrar que desde 2012 eu tenho vontade de ler esse livro. Mas como geralmente livros do tipo “adaptados para o cinema” eu deixo para desafios literários, ele ficou guardado na minha estante por um bom tempo. Nunca aparecia um momento para lê-lo, então troquei. E eis que esse ano surge uma chance e eu tenho que pegar emprestado... Não foi nada do que eu esperava, acima de tudo pelo jeito de Pat de querer ver sempre o lado bom da vida, como Pollyanna e seu jogo do contente. E eu confesso que, apesar de amar Pollyanna e Pollyanna Moça, às vezes me irritava com a mania de ver só as coisas boas da vida. Estranhamente, não me irritei com Pat. Gostei do fato do livro ser narrado por ele, porque assim sabe-se em primeira mão o que passa na cabeça dele, os motivos de seus surtos, e só assim somos capazes de entender direito sua bipolaridade. Gostei muito.

16 de mar de 2016

O festim dos corvos (George R.R. Martin) – RC 2016


Título: O festim dos corvos
Autor: George R.R. Martin
Mês: Março
Tema: De autor que sente que deveria ler agora
Editora Leya, 641p.

Depois do Casamento Vermelho, os Starks parecem mesmo estar acabados. Robb e Catelyn mortos, Sansa nas mãos de Mindinho, Bran sumido na vastidão para além da Muralha e Arya em Bravos. Cada um deles terá que lidar com os perigos que encontrarem no caminho. No Norte, seus grandes senhores lutam entre si enquanto buscam vingança pelo que aconteceu aos seus parentes nas mãos dos Frey. Eles não sabem, mas uma mulher misteriosa e assassina que agora anda junto aos homens de Beric e Thoros de Myr também busca vingança... Em Porto Real, Cersei tenta se manter firme e forte como uma leoa do Rochedo deve ser, para proteger Tommen e enfim poder fazer o que sempre quis, governar. Suas decisões equivocadas e tomadas por medo de uma antiga profecia a levam a um caminho sem volta, e poderá lhe custar tudo aquilo que não está preparada para abrir mão, enquanto na Muralha Jon Snow, agora Senhor Comandante da Patrulha, precisa lidar com o irascível rei Stannis e sua feiticeira vermelha. Os homens de ferro, com Balon morto, agora precisam escolher um novo rei, que além de querer a cadeira de pedra do mar, também almeja o Trono de ferro. Longe de tudo isso, em Dorne, a população quer vingança pela morte de Oberyn. Aryanne, filha do príncipe Doran e sua herdeira, arma um golpe que dá errado e que poderá custar muito mais do que o rosto marcado de Myrcella.

Depois de A tormenta de espadas, confesso que não fiquei muito ansiosa para ler o que acontecia a seguir. Exatamente como aconteceu com a série, depois que eu vi o destino do Jovem Lobo (mais uma morte literária com a qual eu jamais irei me acostumar). Li esse livro na maior vagarosidade possível, Como eu vi a série antes de ler os livros, eu ficava me perguntando quais eram as asneiras que a rainha Cersei fazia pra causar tanta raiva nas pessoas. Esse livro deixou tudo muito claro. Apesar de ser uma personagem mal compreendida por alguns, e sim ter algumas ressalvas, ela não me cativa (apesar de, na última temporada, eu ter ficado com pena dela. Mas a pena passou rapidinho quando lembrei de Lady :’( ) Achei meio cansativas as partes de Arya também, e de Brienne. Mas as aparições de Lady Coração de Pedra, cortada da série (POR QUE RAIOS VOCÊ FAZ ISSO, HBO???) compensaram as partes chatas. Agora estou ansiosa para ler o livro seguinte, antes da nova temporada começar. Como toda a série de Martin, recomendo. E mesmo que, como eu, você se desanime depois do Casamento Vermelho, continue. Vale a pena.

14 de mar de 2016

Tristão e Isolda (Fernandel Abrantes) – DL 2016



Título: Tristão e Isolda
Autor: Fernandel Abrantes
Mês: Março
Tema: Medieval
Editora Martin Claret, 144p.

Tristão ficou órfão muito cedo. Criado por um amigo de seu pai para se tornar um cavaleiro, aos 12 anos se mete em um grande problema e acaba indo parar nas terras que mais tarde descobre serem do seu tio, o rei Marcos da Cornualha. Ele acaba ganhando o afeto e confiança do tio e se torna seu provável herdeiro, pois Marcos não era casado nem tinha filhos. Ferido mortalmente em uma luta para salvar Marc, ele pede ao tio para ser colocado em um barco e morrer em mar aberto. O barco é encontrado em Weisefort, terra de Morholt, onde Isolda, a Loura, o cura. Tristão estava irreconhecível devido ao ferimento que recebeu e volta para o reino de Marc antes que alguém saiba quem ele é. Os barões da corte de Marcos odeiam Tristão e aconselham o rei a casar com uma princesa que lhe desse herdeiros, ou então, os barões declarariam guerra a ele. Certo dia, algumas andorinhas entraram pela janela do quarto do rei e deixam cair um fio de cabelo loiro e fino. Assim, Marcos decide que é a dona deste fio de cabelo que ele irá desposar. A moça é Isolda. Ela cura Tristão novamente quando o jovem é envenenado por um dragão que atacava o reino de Weisefort. Quem o matasse se casaria com Isolda. Tristão mata o animal e recebe Isolda como noiva de Marc. Os dois, a caminho da Cornualha, tomam uma poção que faz com se apaixonem um pelo outro. Isolda e Marc se casam, mas a rainha e o cavaleiro se tornam amantes. Desconfianças, inveja e armações levam a um final trágico e emocionante.

Faz muito tempo que eu vi o filme baseado nessa história. Na época achei meio fraco, mas agora depois de ler o livro, vejo que não tem nem comparação. Comparado ao filme, o livro é bem melhor. Apesar de a história ser meio trágica, adorei a leitura, e como eu adoro mitologia celta, amei as menções ao rei Arthur e a Avalon. O livro é fininho, dá pra ler em uma tarde. São muitas reviravoltas e desencontros que fazem você ficar grudado na leitura até terminar. E o final, apesar de achar bem previsível (fiquei com essa sensação mesmo antes de ver o filme), vale a pena. Recomendadíssimo.

11 de mar de 2016

É para glorificar de pé! (Lodir Negrini) – DL 2016


Título: É para glorificar de pé!
Autor: Lodir Negrini
Mês: Março
Tema: Sátira
172p.

Marlus tinha tudo para ser bem sucedido. Bem nascido, formado em direito e com uma filhinha recém-nascida. Mas a esposa quer o divórcio e ele está desempregado. Ao procurar trabalho nos classificados, ele se depara com uma manchete que, ele percebe, pode lhe ajudar a ganhar algum dinheiro. Fascinado com a idéia, ele conversa com o amigo Tito e ambos decidem criar uma igreja, cujo objetivo é fazer com que o povo pense que ele é um líder religioso e faça doações.

Um ebook pequeno que me fez rir feito... nem sei o quê. É impressionante a cara de pau das pessoas. O pior de tudo é que Marlus é só um exemplo do que acontece na realidade. A ironia neste livro é ótima e te faz refletir até que ponto chegou a comercialização da religião, que é exatamente o que se vê hoje.

9 de mar de 2016

Marilyn e JFK (François Forestier) – DL 2016


Título: Marilyn e JFK
Autor: François Forestier
Mês: Março
Tema: Memórias sobre personalidade política
Editora Objetiva, 214p.

Marilyn Monroe é uma atriz no auge da carreira. John F. Kennedy está se preparando para a candidatura presidencial. Ela, loura e sexy, que se torna a mulher mais desejada da época, teve uma infância atribulada e difícil. Sua mãe e avó eram loucas e isso sempre foi um fantasma em sua vida. John, filho de um casamento nada feliz, é um mulherengo convicto. Ambos são carismáticos, e a partir do momento em que o caminho de ambos se cruza, começa um relacionamento que vai durar dez anos. Nada secreto, pois os encontros são conhecidos pelo FBI, pela KGB e máfia. A relação esconde segredos sujos, de Marilyn e JFK, e a morte deles (um seguido do outro com a diferença de meses) os eterniza como ícones de sua época.

Eu não sei bem o que achar desse livro. História norte-americana sempre foi uma coisa que nunca me interessou e a vida de Marilyn Monroe idem. Sobre JFK, a única parte da vida dele que me interessava de vez em quando era sobre seu assassinato e as teorias de conspiração em torno do assunto. Nunca entendi o que, na época e até hoje, as pessoas viram de tão maravilhoso em Marilyn. Pra mim, ela sempre foi somente uma vadia, por ter se tornado amante do presidente americano, um homem casado.. Neste ponto, o livro é bom, porque acaba com a imagem perfeitinha do bom moço do presidente que a história resolveu perpetuar. Acima de tudo, explica o motivo de Marilyn ter se tornado um símbolo sexual dos anos 50.

Ela inventou o erotismo. Torna-se a danação de todos os homens.

Uma das melhores partes do livro é quando narra os bastidores da famosa apresentação da atriz cantando Parabéns para você no aniversário do presidente. Achei uma boa biografia, apesar de ser bem exagerada a forma como o autor relata os acontecimentos. Uma hora pendia para o drama, outra hora para a invencionice pura (principalmente no que diz respeito a descrição dos momentos em que JFK e Marilyn estavam juntos). Apesar de saber que é um livro que eu não vou ler de novo tão cedo, recomendo.

7 de mar de 2016

Fazendo meu filme 0 (Paula Pimenta) – DL 2016


Título: Fazendo meu filme 0: antes do filme começar
Autora: Paula Pimenta
Mês: Março
Tema: Com menos de 150 páginas
Editora Gutenberg, 11p.

Fani quer retribuir o presente que Leo lhe deu de aniversário e decidi fazer uma festa surpresa pro amigo. Só que ela tem que arrumar tudo durante a semana em que as provas começam, e dar um jeito de Leo não perceber. Ela pede ajuda e permissão da mãe dele para fazer a festa na casa dela e dona Carmen aceita. No dia da festa, quase Leo estraga a surpresa, mas a festinha é um sucesso. E Fani se pega pensando sobre a garota que o amigo está a fim...

Livro bem fininho, que conta o início da história da série Fazendo meu filme. Se eu levei 15 minutos pra ler, foi muito. Adoro esse série da Paula Pimenta e ainda me falta ler o último, mas eu estava curiosa mesmo sobre esse número 0, pra saber como tudo começou. Adorei.