27 de jul de 2015

Asgard (Sóira Celestino e Evandro Guerra) – RC 2015


Título: Asgard: a saga dos nove reinos
Autores: Sóira Celestino e Evandro Guerra
Mês: Julho
Tema: Autor nunca lido
Editora Jambô, 224p.

Uma antologia sobre a mitologia nórdica. São 22 Contos e 5 poemas sobre Thor, Loki, Odin e vários outros. Guerreiros, deuses, criaturas e humanos, batalhas sangrentas, o Ragnarók, Valhala. São muitos elementos da mitologia dos nórdicos entrelaçados e retratados de maneira fantástica, provendo reflexões variadas. Não existe uma ordem entre os poemas e contos, cada um fala de uma história.

- Estou pronto, Valquíria- disse se erguendo e esticando o corpo, mostrando toda a força de seus músculos e a firmeza de seus ombros. [...] -Por Thor e Odin, peço que me permita passar e enfrentar meu destino...

Minha curiosidade primária sobre esse livro tem a ver com a capa. O segundo atrativo está relacionado ao tema do livro, que fala sobre mitologia nórdica. Apesar disso, nunca me interessei em ler, Só que essa uma coisa leva a outra, e essa onda de heróis da Marvel e todos os acontecimentos dos filmes que me deixam sem entender direito o que ainda vem pela frente me convenceram a ler este livro. Devia ter lido antes. Os contos são ótimos, os organizadores souberam selecionar bem, porque é uma história melhor que a outra. As ilustrações e poemas também são muito bons. A melhor história: “Fenrir”, de Allex Mir, que eu fiquei desejando que fosse uma história maior.

24 de jul de 2015

O fantástico mistério de Feiurinha (Pedro Bandeira) – RC 2015


Título: O fantástico mistério de Feiurinha
Autor: Pedro Bandeira
Mês: Julho
Tema: Lançado no mês de nascimento
Editora FTD, 64p.

A princesa Dona Feiurinha do Encantado desapareceu da terra dos Contos de Fadas. Um emissário parte ao encontro do Escritor pedindo ajuda para encontrar a princesa desaparecida. De acordo com o emissário, Branca de Neve, Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel e Bela Adormecida procuram notícias da princesa Feiurinha, mas quando decidem investigar por si próprias, descobrem que nenhuma delas se lembra mais deste conto. Vivendo seus próprios contos de fadas, as princesas correm o risco de desaparecer também. Assim, o Escritor sai procurando quem saiba contar a história de Feiurinha, já que ela sumiu porque sua história nunca foi escrita e por isso parou de ser contada.

Um livro maravilhoso, como todos os livros do Pedro Bandeira. Nunca havia pensado na possibilidade das princesas dos contos de fadas pudessem desaparecer devido ao fato de suas histórias pararem de ser contadas, eu só vi esse conceito quando vi o filme Peter Pan (2003), onde Peter conta com todas as crianças do mundo para manter Sininho viva graças ao coro de “Eu acredito em fadas”. Adorei o livro por vários motivos, sendo o principal deles: Pedro Bandeira toca na questão da oralidade e escrita dos contos de fadas. A diversão fica por conta das mudanças que aconteceram na vida das princesas após o “felizes para sempre”, algumas completam aniversário de casamento, outras tem mais de um filho e por aí vai. Eu também gostei pelo fato de uma história tão fofa e com um tema que eu AMO ter sido lançada originalmente no mês do meu aniversário \o/ Pedro Bandeira mostrando mais uma vez porque conquista leitores até hoje. Completamente recomendado.

20 de jul de 2015

Armadilhas (Roderick Gordon e Brian Williams) – RC 2015


Título: Armadilhas
Autores: Roderick Gordon e Brian Williams
Mês: Julho
Tema: Com única palavra no título
Editora Rocco Jovens Leitores, 527p.

Várias coisas acontecem ao mesmo tempo. Will, seu pai, Bartleby e Elliot continuam vivendo no mundo escondido no centro da Terra que encontraram, Chester e Martha conseguem chegar até a crosta, mas a louca mulher se afeiçoou tanto ao menino que o transforma em refém, Drake se une a um Limitador traidor e a sra. Burrows passa a viver na colônia, se fingindo de demente e sendo (mal) cuidada pelas irmã e mãe do soldado que se afeiçoou a ela. Will e seu grupo decidem explorar a cidade que encontraram no centro da terra, chamada de Nova Germânia, enquanto as gêmeas Styx estão a sua caça em busca do vírus Dominion e de seu antídoto. Após algumas fugas, trapaças, negociações e ameaças, Will e seu grupo conseguem voltar para a crosta, encontram Chester e sua mãe e descobrem mais sobre o passado de Drake.Quando tudo parece bem, eis que os Styx aparecem para acabar com a calmaria.

Depois daquele final de Vertigens, eu me perguntava do que trataria a continuação dessa série, já que acreditei piamente que certas personagens não voltariam a aparecer. Não sei se digo “ainda bem que me enganei”, porque não tenho muita certeza sobre meus sentimentos pelas criaturas em questão. A verdade é que a história toda se desenvolve por causa delas, já que um enredo centrando-se somente na fixação pela busca de novos conhecimentos (e o sonhado reconhecimento decorrente) do dr. Burrows seria completamente chato (mesmo quando ele e o filho estão em perigo mortal, ele acha que é tudo mentira e só quer saber das suas pesquisas, que dizer, sacal). Como vem acontecendo no decorrer dos livros, esta história é uma reviravolta sem fim. Uma hora os styx estão com a bola toda, outra hora, Elliot e Will. O fato de apresentar os pontos de vistas dos vários personagens (Drake, sra.Burrows, que teve maior destaque, Chester) é um ponto positivo a mais. Como sempre, após a calmaria dos acontecimentos centrais da história, os autores trazem um anúncio de tempestade, que obviamente só irá cair no próximo livro. Juro que estou cada vez mais ansiosa para saber qual será a conclusão desta história toda. Totalmente recomendado.

17 de jul de 2015

Ensaio de um beijo (Elizabeth Bernard) – RC 2015


Título: Ensaio de um beijo
Autora: Elizabeth Bernard
Mês: Julho
Tema: Livro de infância
Editora Ática, 158p.

Naomi é uma adolescente que sonha em ser uma atriz famosa, apesar de sua família e amigos apostarem em sua futura carreira de advocacia. Ela namora o seu melhor amigo, sua vida é comum e sem surpresas, todos a consideram previsível. Até o momento em que ela faz um teste para uma peça escolar, A Bela e Fera, e acaba sendo aceita para o papel principal, para contracenar com Dylan. A atração entre os dois é palpável, mas Naomi, insegura, não sabe o que faz com seu relacionamento namoro-amizade com Josh. Ela não tem nem mesmo certeza se é correspondida. Cabe a ela decidir se embarca na insegurança de novos sentimentos despertados por Dylan ou volta a levar sua vida tímida e relutante ao lado de Josh.

Esse livro faz parte da coleção Primeiro Amor, cujas histórias tratam de temas adolescentes. Faz tempo que eu conheço a coleção, mas como fazem parte dela 19 livros, eu nunca li todos, então o desafio foi uma ótima oportunidade. Os personagens são carismáticos e a história é interessante. Apesar de a protagonista às vezes ser meio dramática e piegas, gostei da leitura, leve e divertida. Recomendado.

13 de jul de 2015

O diário de Helga (Helga Weiss) – RC 2015


Título: O diário de Helga
Autora: Helga Weiss
Mês: Julho
Tema: Memórias
Editora Intrínseca, 238p.

Nascida em Praga em 1929 (o mesmo ano de nascimento da famosa Anne Frank), Helga era uma pré-adolescente quando a Segunda Guerra começou. Ela viu de perto quando começaram os ataques aéreos, a invasão da Alemanha, o início das ordens antijudaicas, o uso das estrelas até os transportes, levando famílias inteiras para destinos desconhecidos. Ela e sua família são levadas para Terezín, um dos campos de concentração. A propaganda era que eles estavam indo para escaparem da guerra, e se antes Helga era inocente no que dizia respeito a guerra, a partir desse momento ela começa a perceber as mentiras por trás das palavras bonitas de preocupação. Em Terezín, ela e sua mãe são separadas do seu pai, apesar de poder manter contato. Entre doenças, fome e maus tratos, elas vivem até que chega a convocação para Auschwitz. O pai havia ido antes, e a despedida foi a última vez que a família esteve reunida. O medo de ficar sem a mãe, já bastante debilitada, é tão grande que Helga não se importa mais, ela só deseja que morram juntas. O fim da guerra chega, mas Helga é um das poucas crianças que sobrevivem a ela.

Este livro é, sem sombra de dúvida, a melhor publicação da editora Intrínseca no qual eu já tive a chance de pôr as mãos. Mais do um livro de história sobre os judeus durante a Segunda Guerra Mundial, o diário de Helga Weiss, escrito por ela e entregue ao seu tio para ser escondido, é um relato de uma menina que foi mandada aos campos de concentração nazistas e sobreviveu. O livro foi editado por Helga quando a guerra acabou, mas a mensagem continua lá, assim como os sentimentos de quem experimentou algumas das piores formas de se tratar o ser humano, Quando eu vi esse livro pela primeira vez, fiquei muito na dúvida. Primeiro porque eu já aprendi que histórias sobre a Segunda Guerra Mundial não tem final feliz. Segundo, eu não curto muito biografias, sejam elas do tipo que forem (apesar de ter gostado de ler O Diário de Anne Frank). Mas não agüentei, comecei a ler e não parei. Não tenho como descrever o que senti ao ler esse livro, só posso dizer que a história é tocante, ainda mais pelo fato de saber que a própria Helga editou o livro, que conta com ilustrações feitas por ela e uma pequena entrevista onde ela responde algumas perguntas sobre a vida nos campos e as pessoas que perdeu neles. Dividido em três partes – Praga, Terezín e Auschwitz -, este livro emocionante traz uma nova visão a uma das maiores manchas na história da humanidade.

10 de jul de 2015

Confissão, de Paula Pimenta – DL do Tigre 2015


Tema: De poesia
Mês: Julho
Leitura do mês: Confissão
Autora: Paula Pimenta
Editora Gutenberg, 77p.

A dedicatória deste livrinho vai para todos aqueles que inspiraram Paula Pimenta a escrever os poemas contidos nele. Lançado pela primeira vez em 2001 através de “pai-trocínio”, o livro teve uma tiragem pequena que logo se esgotou. Estes poemas foram escritos por uma Paula adolescente, nas últimas páginas do caderno. Isso tem mais de dez anos. Graças ao sucesso conquistado com Fazendo meu filme, a autora popular teve que acatar a exigência dos fãs, que descobriram que ela havia lançado um livro de poemas, e republicá-lo. Além disso, o livro também traz poemas escritos pelo seu personagem Rodrigo de sua outra série de sucesso, Minha vida fora de série.

Eu sempre quis esse livro da Paula Pimenta, apesar de não gostar muito de poesia. A capa é muito linda e o trabalho gráfico é outra beleza, dá gosto de ter em mãos. É um livro bem fininho, dá pra ler em meia hora e você se emociona com o jeito de escrever da Paula. Eu não devia, mas ainda fico surpresa com o jeito que a autora usa as palavras para expressar sentimentos. Isso fica bem claro na série Fazendo meu filme (que eu AMO DE PAIXÃO) e mais ainda nesse livro. Á medida que a leitura segue, dá para perceber o amadurecimento da autora. Os poemas são singelos, alguns bem bobinhos até, mas todos são carregados de emoção. Muito indicado.

6 de jul de 2015

Mago Mestre, de Raymond E. Feist – DL do Tigre 2015


Tema: Da fila de leitura
Mês: Julho
Leitura do mês: Mago Mestre
Autor: Raymond E. Feist
Editora Saída de Emergência, 432p.

A guerra entre os mundos continua... Já se passaram alguns desde que Pug foi capturado. Pug se torna homem no meio dos escravos dos tsurani e conhece Laurie. Os dois são levados para trabalhar na casa de um dos chefes tsurani e ao mesmo tempo em que aprendem sobre os costumes desse povo, também ensinam o chefe e seus filhos mais sobre seu mundo, Até que um mago aparece e reconhece a magia forte presente no sangue de Pug. Ele leva o jovem para a Assembléia e o transforma em um dos grande mago. Enquanto isso, o tempo também passou para os que Pug deixou para trás. Carline ficou noiva de Roland, Thomas agora é um grande soldado, graças a armadura que ganhou de presente do Grande Dragão que ele e Dolgan conheceram. No entanto, tanto poder está levando sua humanidade embora, e apesar de Thomas não estar percebendo isso, a rainha elfa e seu povo temem o que pode acontecer, ainda mais agora que ela e Thomas são amantes. Uma tentativa de paz entre os reinos dos dois mundos fracassa, no entanto as coisas começam a tomar o rumo certo, até o momento em que Arutha acaba descobrindo o parentesco que une e seus irmãos a Martin do Arco, parentesco esse que pode ter graves conseqüências caso Martin decida reivindicar o que é seu por direito.

Como aconteceu durante a leitura do primeiro livro, eu fiquei bastante confusa. Não que a história em si não seja boa, mas parece muita informação ao mesmo tempo, com tantos pontos de vista paralelos. O ponto alto do livro é que tudo vai acontecendo, levando a história a um único momento decisivo. No caso, eu achei que seria o encontro para selar a paz entre os mundos, mas me enganei. E eu não quero ser preconceituosa e nem ficar comparando, mas parece inevitável: colocou elfos em uma história, eu penso logo em Tolkien e na visão dele sobre essas criaturas. E eu fico repetindo o tempo todo, “não vou comparar, não vou comparar, NÃO VOU COMPARAR!”, mas... O fato é: eu não gostei, aliás, eu odiei ver uma rainha élfica tão passiva (aaaaargh!) ao amante humano, ainda mais um tão jovem, que praticamente acabou de se tornar homem e mesmo sendo tão poderoso, tanto assim que poderia ser o destruidor de sua raça. Enfim. A história é complicada, mas bastante atraente. Recomendo.