20 de mar de 2015

Traição entre amigas (Thalita Rebouças) – RC 2015


Título: Traição entre amigas
Autora: Thalita Rebouças
Mês: Março
Tema: Primeiro livro de autor popular
Editora Rocco, 126p.

Luiza e Penélope são melhores amigas desde que se encontraram no curso de teatro. Moravam perto uma da outra, iam juntas para as aulas e para todos os lugares. No entanto, elas são bem diferentes: enquanto Luiza é toda preocupada, Penélope é mais descontraída. Em uma festa, Luiza fica se estranha com Vicente, um jovem diretor de teatro para quem todas se jogam aos pés. Apesar de ficarem juntos, não são namorados oficiais. Ela vai embora, mas Penélope acaba ficando e pega carona com Vicente. Essa carona acaba evoluindo para algo que ela nem imaginava que iria acontecer, resultado de uns goles de vinho e do treino para uma peça. No dia seguinte, consciente do erro, Penélope só sabe chorar. Emílio, amigo das duas, aconselha que a jovem suma, sem dar satisfações, mas Penélope não concorda. Emílio faz Penélope confessar que o motivo de ter ficado com Vicente não foi nem de longe só o vinho... Ao mesmo tempo, Luiza está na praia, esperando ansiosa por Vicente, pronta para dizer que quer ficar com ele do jeito certo, ligando e cobrando a presença da amiga. Elas marcam de se encontrar, e Penélope conta a verdade. Será que a amizade delas sobrevive a essa traição?

Não é o primeiro livro da Talita Rebouças que eu leio, e provavelmente não será o último, porque a autora consegue falar e retratar tanto um adolescente quando um universitário de um modo que faz com que o leitor se lembre de quando viveu aquele momento na vida (no caso deste livro, a universidade). Gostei bastante da história, bem leve, abordando o tema da traição entre melhores amigas de uma forma diferente das histórias que já li. Claro, existe o afastamento obrigatório entre as partes, mas nesse caso, foi mais do que um afastamento, foi uma tomada de consciência, de ambas. Gostei principalmente porque Luiza pagou a boca, com todo aquele seu jeitinho romântico que me irritou muito. A editora Rocco fez um bom trabalho com esse livro com a capa, que tem um desenho um pouco infantil, mas que remete bem ao que acontece na história. Gostei e recomendo.

16 de mar de 2015

O medalhão mágico (Mariana Lucera) – RC 2015


Título: O medalhão mágico: o reino de Damantiham
Autora: Mariana Lucera
Mês: Março
Tema: Com magia
Editora Oitava Rima – Selo Ársis Fantasia, 360p.

Emily Dismiorri é uma pré-adolescente viciada em livros com uma mente bastante imaginativa. Ela e sua mãe não conseguem entender ou explicar o sumiço do pai e marido, Jordan. Durante as férias, Emily e sua mãe viajam para Londres para a casa da tia da menina, que também sofre com o desaparecimento inexplicável da filha. Ao tentar encontrar a biblioteca da casa da tia, que aliás foi a desculpa para que ela aceitasse viajar, ela fica intrigada com os boatos do local ser assombrado. Ela também fica intrigada com o desaparecimento da prima e a partir do diário de Lindsay, Emily descobre um livro, um medalhão e a passagem para o reino de Damantiham. Seu objetivo primário (encontrar a prima e levá-la de volta) é deixado de lado quando a menina percebe que a ela, agora, cabe a salvação daquele mundo dos poderes malignos de uma feiticeira chamada Amyla.

Eu li esse livro sem pretensão nenhuma, o que geralmente acontece quando leio livros de escritos brasileiros dos quais nunca ouvi falar, exatamente o caso de Mariana Lucera. Aliás, também descobri que esse livro é o primeiro de uma série, fato que adorei porque quero saber mais sobre Amyla (sim, gostei dela e quero saber mais sobre sua história, e SIM, achei Helena uma sacana). A história prende a atenção, não enrola em nada, a autora conseguiu ser objetiva. Eu sempre gosto quando a editora, no caso deste livro, o selo Ársis Fantasia da editora Oitava Rima, consegue mostrar na capa os elementos da história (a-do-rei o dragão). Já virei fã da Mariana e não vejo a hora de ler os outros, Recomendo.

 

13 de mar de 2015

A rainha do castelo de ar (Stieg Larsson) – RC 2015


Título: A rainha do castelo de ar
Autor: Stieg Larsson
Mês: Março
Tema: Mistério ou suspense
Editora Cia. das Letras, 688p.

Lisbeth foi resgatada e está internada no hospital, se recuperando de ferimentos muito sérios. Seu pai, a quem ela tentou e não conseguiu matar pela segunda vez, também está internado no hospital devido aos ferimentos causados pela filha. Enquanto isso, Mikael Blomkvist está fazendo de tudo para mudar a imagem que a imprensa está pintando de Lisbeth como uma psicopata lésbica satânica. Enquanto isso, a investigação da polícia aponta Lisbeth como responsável por crimes que ela não cometeu. Mikael fica furioso, arranja um jeito de conversar com Lisbeth clandestinamente e consegue ajudá-la. Investigando por conta própria sobre os acontecimentos relacionados a espionagem russa, principalmente no que diz respeito ao pai de Lisbeth. O julgamento se aproxima e apesar da promotoria querer fazer com que Lisbeth seja internada para sempre, a investigação paralela de Mikael, aliada a excelente defesa da Annika Giannini, levam ao final esperado. Mas a vida de Lisbeth só está começando....

Esse livro foi, como os dois primeiros da trilogia Millenium, uma surpresa atrás da outra. Comecei e não consegui largar, li em 3 dias, tal era o desespero para saber o final que Lisbeth teria. Considero essa trilogia umas das melhores publicações da editora Cia. das Letras. Fiquei meio desesperada em algumas partes, principalmente quando o autor falava de política, porque tinha horas que não conseguia acompanhar, queria logo pular para o julgamento de Lisbeth. No entanto, essa “enrolação” (por falta de palavra melhor) aumenta a credibilidade da história, porque mostra que, para cada acontecimento e personagem, o autor criou uma história de base que se encaixa perfeitamente no enredo como um todo. Eu amei cada minuto da leitura, amei o final (pra lá de merecido) de Zalachenko, amei a defesa que Anika faz de sua cliente, amei cada minuto do sangue frio de Lisbeth e só queria ter matado o desgraçado do Teleborian. O final do livro, para alguns, depois de tanta tensão, pode ter sido decepcionante (um pouquinho), mas fiquei satisfeita. Completamente recomendo.

11 de mar de 2015

Escolhidos Gastão e A Fera, no remake de A Bela e a Fera


Como se a escolha de Emma Watson para o papel de Bela no remake do conto de fadas A Bela e a Fera não tivesse sido suficiente para deixar todo mundo enlouquecido de felicidade, agora foram liberados os nomes dos atores que serão Gastão e a Fera. Sob direção de Bill Condon, Luke Evans dará vida a Gastão, enquanto Dan Stevens será a Fera. 
As gravações do filme começam somente no segundo semestre de 2015.

9 de mar de 2015

O destino do tigre (Collen Houck) – RC 2015


Título: O destino do tigre
Autora: Colleen Houck
Mês: Março
Tema: Com triângulo amoroso
Editora Arqueiro, 393p.

Kelsey está em poder de Lokesh. Ameaçada e sem conseguir encontrar nenhuma oportunidade de fuga, ela não tem o que fazer senão fingir que aceita a proposta do mago para ganhar tempo. Mas Kishan e Ren conseguem se aproximar e resgatam Kelsey, deixando para trás um Lokesh furioso. Em casa, eles descobrem um pouco do que aconteceu com o Sr. Kadam e Nilima. Uma tragédia serve para unir os dois irmãos mais ainda, e Kelsey aparenta estar mais segura do que nunca. Agora, eles estão à caça do último presente de Durga para acabar com a maldição dos tigres, mas a provação maior está por vir. Uma viagem no tempo leva todos ao início da divindade de Durga, quando os três jovens travam a batalha final contra Lokesh e fazem suas escolhas definitivas de uma vez por todas.

Demorei, enrolei, demorei mais um pouquinho para ler esse livro, graças a maldita curiosidade que me fez saber do final bem antes graças a spoilers. Comecei a ler duas vezes, só engrenei a leitura na segunda vez. Apesar de Ren e Kishan continuarem bastante decididos a respeito do que querem e a autora ter conseguido fazer o triângulo amoroso ser um pouquinho atraente, Kelsey me irritou até a morte, o que, aliás, já está virando mania. Só me pergunto o que irá acontecer no livro seguinte, já que as tramas importantes foram resolvidas neste livro. Quando eu li os spoilers, não entendi, só quando li o livro. Com certeza não odiei o final, mas fiquei um pouco decepcionada. No entanto, enquanto a história não foi lá essas coisas (apesar da aventura eletrizante), a editora Arqueiro, como sempre, caprichou na diagramação e trabalho gráfico. Recomendo o livro, se não tanto pela história em si, mas pela aula de mitologia indiana encontrada em cada capítulo.

6 de mar de 2015

Once upon a time in the north, de Philip Pullman – DL do Tigre 2015


Tema: Em outro idioma
Mês: Março
Leitura do mês: Once upon a time in the north
Autor: Philip Pullman
Editora Knopf Books, 96p.

Lee Scoresby tem 24 anos e acabou de ganhar seu balão em um jogo de pôquer. Voando pelo Norte, ele acaba indo parar em uma ilha chamada Novy Odense. Lá, ele e seu Damon Ester se envolvem em uma conspiração envolvendo um magnata do óleo, o corrupto candidato a prefeito e um inimigo de Lee de longa data. Sentindo que a situação em que se encontra é bastante perigosa, ele forma uma aliança com um dos ursos de armadura, Iorek Byrnisson (futuro Rei dos Ursos) para por um fim ao esquema desonesto que tem como objetivo o controle de Novy Odense.

Um livrinho bem legal de ler, uma espécie de prequel da história de Lyra Belaqua. Achei legal porque Lee é um dos personagens mais adorados da série Fronteiras do Universo, então saber mais sobre ele e ver como ele adquiriu seu balão foi interessante. O livro é pequeno, só tem 96 páginas, dá pra ler em uma hora. Adorei as ilustrações, um dos atrativos deste livro, além, é claro, do fato de ser capa dura. Infelizmente, nunca publicado em português (deveria ter sido). Gostei bastante e recomendo.

4 de mar de 2015

Liberado trailer de Mr. Holmes

Foi liberado essa semana o trailer da série estrelada pro Sir Ian McKellen.



“Ambientado em 1947 e baseado no romance de Mitch Cullin, Mr. Holmes acompanha um velho Sherlock Holmes, quando ele retorna de uma viagem ao Japão, onde, em busca de uma planta rara, com poderosas qualidades restauradoras, testemunha a devastação de uma guerra nuclear. Em sua remota casa de fazenda à beira-mar, ele enfrenta o fim de seus dias, com apenas a companhia de sua governanta (Laura Linney) e seu jovem filho, Roger.” (Fonte: Cine Marcado)

2 de mar de 2015

A chave para Rondo, de Emily Rodda – DL do Tigre 2015


Tema: Autor estrangeiro
Mês: Março
Leitura do mês: A chave para Rondo
Autora: Emily Rodda
Editora Fundamento, 304p.

“A vida de Leo Zifkak mudou para sempre no dia em que ele se tornou dono da caixa de música.”

Ele não sabia disso, é claro. Mas se sentiu muito especial quando herdou a caixa de música que já era um tesouro da família Langlander. A antiga dona da caixa de música, a tia-avó de Leo, todo ano oferecia um chá para a família, quando dava a corda três vezes, abria a tampa e a música começava a tocar. Ela sempre seguia a regra de girar a chave só três vezes, seguindo a orientação do tio Henrique, e por Leo ter a mesma índole do tio (de fazer tudo de acordo com as regras), ele herdou a caixa de música. Quando Mimi Langlander, a prima antisocial de Leo, vai passar uma temporada em sua casa, ela acaba girando a chave três vezes, trazendo para o mundo deles uma feiticeira, a Rainha Azul, que rapta o cãozinho de Mimi. Decidida a buscar o animalzinho, ela decide entrar no mundo da caixa e Leo acaba indo junto. No mundo de Rondo, eles passam por muitas aventuras, fazem alguns amigos e percebem que sua família está muito mais envolvida nos acontecimentos de Rondo do que eles jamais poderiam imaginar.

Eu sempre tive curiosidade para ler esse livro. A capa me chamou atenção e quando eu soube que a autora era a Emily Rodda, fiquei mais curiosa ainda. Adorei a leitura porque a narrativa é leve, o livro é simples, com capítulos curtos e muitos diálogos, e a trama deixa você ansiosa para descobrir em que tipo de situações Leo e Mimi vão se envolver em Rondo e se eles vão conseguir derrotar o mal que assola o lugar. O ponto alto do livro é que no mundo de Rondo existe um mesclagem de elementos e personagens dos contos de fadas com os de Rondo. Outra coisa que gostei foi a ilustração da capa e a diagramação primorosa da editora Fundamento. Não vejo a hora de começar a sequência. Livro mais que recomendado.