24 de nov de 2014

Os arquivos perdidos (Pittacus Lore)



Título: Os arquivos perdidos: os legados dos mortos
Autor: Pittacus Lore
Editora Intrínseca, 95p.

Adamus Sutekh, ou Adam, é filho do general mogadoriano Andrakkus Sutekh. Ele e seu amigo Ivan sonham com o dia em que a Terra estará totalmente conquistada pelo seu povo, só que os devaneios são interrompidos quando recebem o chamado do pai para comemorar o fato de terem achado uma criança loriena, só que eles não sabem se ela é a número Um, já estando desconfiados do feitiço que protege as crianças e não as deixa serem mortas “fora de ordem”. Assistindo a morte da garota, Adam começa a sentir empatia por ela, enquanto Ivan comemora. Ao servir de cobaia para um experimento, Adam acaba conseguindo acessar a memória da garota morta e a empatia cresce a ponto de, depois que acorda, ele mentir e não contar tudo que testemunhou. Depois dessa experiência, ele muda completamente e começa a ter alucinações com a número Um. A partir desse momento, ele tenta salvar as crianças seguintes, sem suspeitar que sua própria vida possa estar por um fio.

Eu li a sinopse, mas mesmo assim não estava esperando muita coisa deste livro. Até porque ebook sempre me desestimula a leitura, não gosto. Para variar, adorei. Mostra os acontecimentos que antecederam a história de Eu sou o número Quatro, como os três primeiros lorianos foram pegos. Mesmo sabendo como tudo terminaria, eu rezava para ser tudo diferente, para cada um deles sobreviver e para Adam também se livrar do pai. E aquele final... Nada a declarar, simplesmente. Mas obviamente recomendo.

18 de nov de 2014

Ela disse, ele disse (Thalita Rebuças e Maurício de Souza)



Título: Ela disse, ele disse: o namoro
Autores: Thalita Rebuças e Maurício de Souza
Editora Rocco Jovens Leitores, 143p.

A professora indica Ela disse, ele disse: o namoro para Mônica e seus amigos lerem. Claro, eles já conhecem o primeiro livro, e as meninas (principalmente) estão loucas de curiosidade pra saber a quantas anda o namoro entre Rosa e Leo. A história começa com o casal comemorando os dez meses de aniversário de namoro, data que a Rosa faz questão de comemorar, assim como nos meses anteriores, enquanto Leo acha a maior babaquice mas não tem coragem de dizer nada. O namoro continua de vento em popa, mesmo com alguns dramas absurdos da Rosa. Até que uma briga séria ameaça acabar com o romance antes mesmo deles comemorarem um ano juntos. Será que Rosa vai tentar entender Leo? Ou será que o namoro acabou mesmo? E o que a turma está achando da história?

Que idéia MA-RA-VI-LHO-SA essa de juntar Maurício de Souza e Thalita Rebouças, a Rocco Jovens Leitores acertou em cheio. Ainda mais em uma história que tem tudo a ver com a situação não-sai-de-cima-do-muro entre a Mônica e o Cebola (sim, eu acompanho a Turma da Mônica Jovem, e apesar da Mônica já ter feito uma escolha, eles ainda estavam na indefinição na época do lançamento deste livro, então acho que combinou perfeitamente.). Da mesmo forma como no primeiro, eu adorei ler este, ainda mais por causa dos comentários da Mônica e de seus amigos. O livro ainda tem ilustrações, o que eu adoro.Completamente recomendado.

17 de nov de 2014

Contos de fadas (Irmãos Grimm)


Título: Contos de fadas
Autores: Irmãos Grimm
Editora Iluminuras, 286p.

Princesas adormecidas, príncipes corajosos, reis antigos, animais encantados, fadas, elfos, dragões, crianças abandonadas, romance e magia. Tudo isso e muito mais fazem parte dos contos de fadas recolhidos pelos irmãos Grimm quando ambos abandonaram o magistério para se dedicar aos estudos de história, literatura e lingüística. O legado destes dois irmãos foi publicado em dois volumes em 1812 e 1814 e mais tarde, em um volume com todas as histórias recolhidas, publicado em 1819. Desde então, as crianças conhecem os contos de fadas e, através deles, a bondade, beleza e inteligência, assim como a maldade e ganância inerentes ao ser humano.

Este livro contém 58 contos dos irmãos Grimm, alguns já bem familiares ao público, outros nem tanto. Eu já tinha visto esse livro, mas nunca fiz questão de tê-lo (minha fixação era uma edição da Zahar). No entanto, resolvi ir atrás dele e ler desde que eu soube de uma série alemã (que também reproduzia alguns contos de Hans Christian Andersen) chamada Os melhores contos de Grimm, que passava todo domingo no canal +Globosat. Eu fazia questão de sempre assistir, mas peguei somente os episódios finais. Alguns dos contos eu nunca havia ouvido falar, então adorei quando vi que neste livro tinha alguns dos que se tornaram os meus favoritos: "As doze princesas bailarinas" e "A moça dos gansos". Outros contos, como "Rumpelstiltiskin" e "O pescador e sua esposa", eu já conhecia de outras coleções. Enfim, adorei o livro. Eu adquiri pensando em ler e trocar, mas agora já está na estante pessoal. Indico tanto ele quanto a série (cujas paisagens e locações fazem você realmente se sentir em um conto de fadas).


Cenas de A pequena sereia.

10 de nov de 2014

Tenshi (Luciane Rangel e Ana Cláudia Coelho)


Título: Tenshi: um anjo sem asas
Autora e Ilustradora: Luciane Rangel e Ana Cláudia Coelho
Editora EraEclipse, 287 p.

Era sete de julho, dia do tanabata Matsuri, Festival das Estrelas. Umi, Kaori e Natsu foram comemorar um dos festivais mais importantes do Japão, mas a alegria acaba quando algumas colegas aparecem e começam a atormentar Umi. Ela foge correndo, enquanto Kaori dá uma lição nas colegas maldosas. Na fuga, Umi encontra um rapaz aparentemente machucado caído no meio da rua. Ela tenta ajudá-lo e descobre que além da aparência incomum (ele é chinês e tem olhos verdes), o menino não sabe quem é nem de onde veio. Como forma de ajudá-lo, o professor Hinoki, irmão de Kaori, aceita após muita insistência abrigá-lo em sua casa. Umi dá um nome para ele, Aki, e tenta de todas as formas descobrir que ele é, de onde veio, o que gosta e o que não gosta (ela chega ao cúmulo de achar que ele é um anjo e o põe a prova algumas vezes, na certeza de que suas asas aparecerão do nada), mas é tudo em vão. À medida que a convivência entre eles aumenta, Umi vai percebendo que gosta dele. E sente muito ciúme quando vê certa intimidade entre ele e a nova professora de história. Enquanto ela tenta entender isso, descobre que a verdade sobre o pai de Natsuo, e tenta ajudar a amiga. O que ela não conta para Natsuo é o verdadeiro caráter de Ken, paixonite da amiga. Só quando ele é pego agarrando Kaori a força, Natsuo percebe tudo. Na mesma noite, outra revelação é feita, e Umi descobre tudo a respeito de Aki, mas não tem mais certeza se gosta da “nova versão” (ou verdadeira identidade) do rapaz.

Eu comprei esse livro assim que a Luciane Rangel anunciou a pré-venda por um simples motivo: ele viria autografado por ela e pela Ana Cláudia Coelho, que a (talentosa) ilustradora. Desde que terminei a trilogia Guardians, da Luciane, andava querendo saber o que ela andava aprontando, então quando ela anunciou Tenshi pela editora EraEclipse, nós, seus fãs, ficamos loucos pra saber mais. E a história não decepcionou. A protagonista é muito bobinha, tanto que chega a ser hilária (como assim, fazer o coitado do menino pular da árvore achando que ele era um anjo? Ri alto). Além das ilustrações, o livro traz também as fichinhas dos personagens principais, com as opiniões da Lu (olha a intimidade rsrsrs) e da Ana sobre cada um deles, além de informações sobre os termos e nomes de lugares japoneses para os leitores, o que eu achei muito considerado da parte dela. Amei demais a história, como sempre Luciane prendendo o leitor, tanto com a história central, quando com as tramas paralelas (a história pessoal de Kaori me emocionou bastante). Recomendadíssimo.

4 de nov de 2014

O mágico de Oz (L. Frank Baum)


Título: O mágico de Oz
Autor: L. Frank Baum
Editora Zahar, 223p.

Sim, eu já fiz uma resenha desse livro, agora eu só queria comentar a edição da Zahar, que eu encontrei enquanto ia atrás da edição ilustrada e comentada de Contos de fadas. Esta edição apresenta a história ilustrada e comentada de Dorothy e sua viagem para o reino de Oz. A diagramação, como sempre acontece com as edições da Zahar, é excelente. Com tradução de Sérgio Flaksman, esta edição é capa dura, as ilustrações são originais, e as informações adicionais sobre a vida de Baum e a inspiração para a criação do mundo de Oz fizeram toda a diferença. Adorei saber que existem outros livros sobre Oz escritos pelo autor (que eu já estou procurando).

3 de nov de 2014

Once upon a time tale (Odette Beane) – DL 2014


Título: Once upon a time tale: despertar
Autora: Odette Beane
Mês: Novembro
Tema: Contos de fadas / lendas
Editora Planeta, 302p.

Emma Swan está em ação, em mais de seus trabalhos como caçadora de recompensas. Em outro mundo, há muito tempo, Branca de Neve e o Príncipe Encantado estão se casando, quando recebem a visita inesperada da Rainha Má. De volta a Emma, ela já voltou ao seu apartamento e está se preparando para assoprar a vela de seu 28º aniversário quando recebe a visita de um menino chamado Henry, que alega ser o filho que ela deu pra adoção 10 anos atrás. Tomada pela surpresa, a única coisa que ela sabe é que deve levar Henry de volta pra casa. No mundo de Branca de Neve, ela, grávida, e seu marido vão ao encontro de Rumpelstiltskin para saber sobre os planos da Rainha Má, e descobrem que ela amaldiçoou o reino inteiro. No mundo de Emma, ela e Henry chegam a pequena cidade de Storybrooke e o menino começa a contar que o tempo parado na cidade é resultado da maldição da Rainha Má para acabar com a felicidade de Branca de Neve e do Príncipe. Emma não acredita e leva Henry pra casa, mas não gosta do que sente quando encontra a mãe dele, Regina, prefeita da cidade, e resolve ficar mais uns dias. Enquanto isso, Branca de Neve e o Príncipe buscam um meio de salvar a filha que ainda não nasceu porque ela será a salvadora de todos. Enquanto eles tramam um jeito de salvar a criança, Emma se vê cada vez mais, e sem querer, fazendo parte da vida de Henry e de Storybrooke.

O livro de Odette Beanne narra basicamente tudo o que acontece na série Once upon a time durante a primeira temporada. Da mesma forma, alternando entre os mundos de Emma e de Branca de Neve. Não tem nada de novo, mesmo assim quando a editora Planeta anunciou o lançamento, fiz questão de comprar e a leitura valeu a pena por que me ajudou a lembrar de coisas que eu já havia esquecido sobre a primeira temporada da série. E claro, só me deixou mais ansiosa para que comece logo a nova temporada, mal posso esperar. Recomendo a leitura para quem ainda não viu a série, leia e assista, não vai se arrepender. Não me canso de admirar a mistura e conexão que os criadores da série fazem com os contos de fadas que nós amamos.

Ela disse, ele disse, de Thalita Rebouças – DL do Tigre 2014


Tema: Brasileiro
Mês: Novembro
Leitura do mês: Ela disse, ele disse
Autora: Thalita Rebouças
Editora Rocco Jovens Leitores, 189p.

Rosa está começando o primeiro dia de aula em uma escola nova. Nascida no Rio de Janeiro, ela se mudou com os pais para o Espírito Santo, e volta ao Rio alguns anos depois para ficar com a pai depois que os pais se separam. O frio na barriga e o nervosismo são tantos que quando Leo, que também é novato na escola, senta e puxa papo, ela não sabe formar uma frase inteira e começar uma conversa com ele. Ele acaba se enturmando com um grupo de meninos da turma e a deixa sozinha, até que Luana a chama para se sentar com ela, Carol e Julia. Uma amizade acaba se formando entre elas, até que Júlia começa a se interessar por Leo. Só aí, Rosa percebe que gosta do colega. Enquanto Leo não aguenta o jeito pegajoso de Julia e simplesmente a atura, enquanto Rosa se morde de ciúme. Quando Leo percebe que também está gostando de Rosa, dois colegas aprontam com eles e a situação acaba parando na sala da diretoria. Agora o casalzinho precisa resolver a situação antes que tudo complique para o lado deles.

Eu já conhecia a Thalita Rebouças da série Fala sério, mas só fiz questão de comprar esse livro quando soube que sairia uma continuação juntando Leo e Rosa a Mônica e o Cebola do Maurício de Souza. Comprei os dois e comecei a ler ansiosa. Adorei a história. Com a série Fala sério, eu já havia notado que a Thalita consegue escrever como se fosse mesmo uma adolescente, e neste livro é a mesma coisa. Ela consegue mesmo escrever como se fosse uma adolescente, a linguagem é excelente, e no caso deste livro, é muito mais legal porque não é somente a Rosa que narra, mas o Leo também. Ou seja, Thalita não só consegue falar como uma adolescente, mas como um menino adolescente. É igualzinho, não pude evitar lembrar da minha adolescência, ri demais com a Rosa (que menina dramática rsrsrsrs). Super recomendo.