23 de fev de 2014

Lágrima de fogo (Ana Macedo)


Título: Lágrima de fogo: mundo de sombras
Autora: Ana Macedo
Editora Novo Século, 311p.

No mundo paralelo de Agnitellure, existem várias criaturas mágicas, todas vivendo em paz. Até o momento em que os humanos chegaram.Quando dragões e anjos caídos resolvem invadir o terceiro mundo, a Terra, aqueles responsáveis por manter a paz recebem ordens de levar ao seu mundo a mais perigosa criatura... Quando a tia de Annabelle lhe entrega uma carta de sua mãe, ela acaba descobrindo mais do que gostaria. O choque faz com que ela perca a cabeça e vá parar em um descampado conhecido. O que ela não esperava era encontrar um dragão pronto para atacá-la. E a chegada de outro dragão a surpreende muito mais, até porque o monstro azul veio salvá-la. Ao mesmo tempo, um belo jovem chamado Draco aparece em sua vida e a vira de cabeça para baixo. Agora Anne precisa avaliar seus conceitos sobre as lendas e mitos que passou a vida escutando, mas esse belo estranho, com seu sorriso cínico, não está ajudando muito. Ainda mais quando ele se aproxima muito dela... À medida que a convivência com Draco se estreita, sua relação com Daniel piora. Porque sua vida agora corre mais perigo que antes, Anne é levada para Askrácën. Enquanto Draco precisa entender o que sente de verdade por sua protegida, seu irmão Desmond quer se casar com ela, tudo levando em conta a profecia sobre a criança que unirá os povos novamente.

Esse livro é de uma das minhas autoras parceiras, Ana Macedo. Lembro exatamente do dia em que dei de cara com o livro dela, bem antes do lançamento. Entrei em contato e firmamos a parceria, mas demorei um tempão pra adquirir o livro. Quando consegui, comecei a ler, mas parei a leitura por conta de algumas obrigações. Resultado: tive que ler desde o começo de novo.
Não me critiquem, eu adorei esse livro, mas posso falar uma coisa? Adorei o Desmond. Ele pode ser sanguinário e perverso e tudo, mas eu tenho um fraco por dragões vermelhos rsrsrs Além disso, prefiro-o também porque ele mostra logo o que realmente é. Draco me irritou terrivelmente, com aquele papo de querer proteger Anne sem ser honesto, toda hora jogando charme ao mesmo tempo em que tratava a menina com ironia. Já estava me cansando dele, realmente. A própria protagonista testou bastante a minha paciência, sempre parecendo uma garotinha mimada, mas creio que isso se devia a total ignorância dos acontecimentos nos quais ela estava envolvida.
Outra coisa: o livro é muito CURTO!!!! Como assim, Ana Macedo??? Como você me cria uma história fantástica em apenas 300 e poucas páginas? É muita maldade com o seu leitor :P E que final foi aquele???? Me mate de ansiedade só mais um pouquinho. Mas eu confesso, isso tudo só me fez ficar mais louca para ler a continuação dessa história. Recomendo completamente.

Profundezas (Roderick Gordon e Brian Williams)


Título: Profundezas
Autores: Roderick Gordon e Brian Williams
Editora Rocco Jovens Leitores, 689p.

O livro começa, diferentemente de como se poderia imaginar, mostrando Sarah Jerome, uma fugitiva da Colônia. Mas logo voltamos a Cal, Chester e Will no trem dos mineradores, em direção às profundezas, mas especificamente, em direção ao Desterro, Will com a idéia fixa de que ainda pode encontrar Dr. Burrows, seu pai, vivo. Aliás, ele reaparece, fazendo anotações sobre tudo que encontra pela frente, delirando (praticamente) com o esperado reconhecimento científico pelas suas descobertas. Voltando a superfície, damos de cara com a Sra. Burrows e o que ela anda fazendo durante seu período de internação. O tempo corre, já fazem meses que sua família foi separada, e ela não faz idéia do que aconteceu com todos. Voltando aos meninos, eles ainda lutam para fugir dos Styx e acabam encontrando ajuda pelo caminho na forma de Drake e Elliot. As coisas não andavam bem entre Chester e Cal, e agora o relacionamento entre Will e seu amigo também começa a piorar. Mas a reviravolta na história está ainda para acontecer, quando Will descobre mais sobre sua suposta irmã Rebecca. O que acontece depois ninguém poderia prever.

Se você gostou do primeiro livro dessa série, vai adorar esse. Surpresas do início ao fim. Muito mais detalhes e descrições, muitas aventuras e um final de tirar o fôlego (e de fazer chorar também). Confesso que fiquei meio perdida com as muitas descrições, as quais sou péssima pra imaginar (vou deixar por conta do filme me ajudar a visualizar os locais, o qual vai acontecer, se Deus quiser, se o primeiro filme fizer sucesso, o que vai acontecer, se Deus quiser). E também fiquei surpresa com a reviravolta no final. Na verdade fiquei louca com aquele final. Eu cometi a grande besteira de ler algumas páginas do final do livro antes e me conformei, depois da surpresa. Mas eu não sabia o que vinha antes dessas páginas... Algo que eu sequer imaginava. E ainda não me conformo, mesmo já estando lendo o terceiro e vendo que aquilo aconteceu mesmo. Enfim. Como o primeiro livro, eu totalmente recomendo.

6 de fev de 2014

Seraphina, de Rachel Hartman – DL do Tigre 2014


Tema: Julgando pela capa
Mês: Fevereiro
Leitura do mês: Seraphina
Autora: Rachel Hartman
Editora Jangada, 384 p.

Seraphina é órfã de mãe, mora com o pai e a madrasta, e passa maior parte de seu tempo com o amigo de seu pai, Orma, e tendo aulas de musica. Mas ela esconde um segredo que se vier a tona, pode prejudicar sua família. Phina vive em uma época em que os dragões e os humanos convivem relativamente bem entre si, graças à assinatura de um tratado. É às vésperas da comemoração desse tratado, quando Ardmagar Comonot, o líder no mundo dos dragões, está chegando ao reino de Gored, que a vida da jovem começa a virar de cabeça para baixo: ela começa a ter visões que desconhece o significado, passa a ter lembranças de sua mãe, descobre a real ligação que existe entre ela e Orma e também o que ela é na verdade. Justamente nesse momento, em que ela trabalha como assistente do compositor da corte, um membro da família real aparece morto. As evidências apontam para um dragão, o que leva a desavenças e levantes públicos contra a chegada de Comonot. Ela de junta ao Capitão da Guarda da Rainha, o príncipe Lucian Kiggs. Todas as pistas levam a uma trama sórdida criada para destruir a tênue paz entre humanos e dragões, e Seraphina precisa lidar com sua verdadeira identidade, algo que pode arruinar sua vida.

O que me chamou atenção para esse livro foi a palavra dragão. Adoro dragões, e depois da série Ciclo da Herança, de Christopher Paolini, eu queria muito alguma outra história sobre essas criaturas. Seraphina não decepcionou. Li em dois dias, não conseguia parar. Logo no final, fiquei com uma sensação de “querer ler a continuação” (que não existe, esse livro é único), porque ficaram umas partes soltas, e o próprio final dá muito pano pra uma nova história. Ao mesmo tempo, fiquei feliz de ser só um, porque existem histórias que mesmo com panos soltos, seriam melhores ficarem em um livro do que se alongarem e perderem o foco (como existem alguns livros por aí). De qualquer jeito, eu adorei, A capa é linda e o subtítulo sugere exatamente aquilo que a personagem é. Recomendo completamente.

Helena de Tróia (Francesca Petrizzo) – DL 2014



Título: Helena de Tróia: memórias da mulher mais desejada do mundo
Autora: Francesca Petrizzo
Mês: Fevereiro
Tema: Romance histórico
Editora Lua de Papel, 207p.

Helena sempre se sentiu distante de todos. Sua irmã mais velha, Clitemnestra, a odeia e seus dois irmãos, Pólux e Castor, lhe são indiferentes. Sua infância é rica, como a de uma princesa, mas sua vida é vazia. Ela cresce sob o estigma da beleza, possuindo um nome de significado funesto. Tem a sorte de se apaixonar por alguém que também a ama, Diomedes, de Argos. Sua felicidade dura pouco, no entanto, pois após seu pai Tíndaro permitir o compromisso, Agamêmnon, rei de Micenas manda um emissário a Esparta.

Era uma ordem, a do grande rei. Uma ordem contra a qual não era possível rebelar-se. As saudações de minha irmã e todo seu afeto feriam como chicotadas. Viriam a Esparta somente para o casamento, não antes.

Assim, Helena de vê forçada a casar com Menelau, irmão de Agamêmnon. E sua infelicidade começa. Até que um príncipe de Tróia chamado Páris, aparece para saudar Menelau em nome de seu rei, Príamo. Alguma coisa no olhar dele chama sua atenção, algo que ela não viu em nenhum outro homem. Embriagada por um prazer que havia esquecido e por um amor que achava estar vivendo, Helena foge com Páris para Tróia. Uma decisão que trará conseqüências fatídicas para todos.

Esse livro é exatamente o que o subtítulo diz: as memórias de Helena, a mulher mais bela do mundo. Narrada em primeira pessoa, o livro mostra de uma maneira quase “real”, não romantizada, a vida daquela que é considerada a mulher mais bela já existente. Neste livro, a autora deixa a lenda de lado e traz à tona a mulher, com sentimentos e pensamentos, dona de vontade própria. Este livro, diferente de vários romances históricos, tem um toque mais ácido e feroz, sem muita baboseira romântica ou dramática. A capa já chama atenção, porque não retrata Helena como aquela lindeza loira com cachos de anjo. Só isso já foi suficiente para me levar a lê-lo. Vale muito a pena.

1 de fev de 2014

Fui uma boa menina? (Carolina Munhóz)


Título: Fui uma boa menina?
Autora: Carolina Munhóz
Editora Rocco, 16p.

Uma adolescente que, à primeira vista, é bastante comum: carente de atenção do pai, cheia de conflitos. Seu pai é conhecido e querido no mundo todo, admirado pelos funcionários e amado pela esposa. Seu relacionamento com a filha, no entanto, é outra coisa... A jovem é insatisfeita com o lugar onde vive, com o clima, e vive questionando o porquê do pai nunca passar o Natal em família. Seu diário, onde ela relata certos momentos de sua vida, incluindo o último Natal, é sua fonte de desabafo.

Pois é, Natal já passou, mas eu precisava compartilhar esse pequeno conto com vocês. Comprei esse ebook graças a indicação de um colega aqui do grupo Clube do Livro Potterish. Valeu a pena ler por vários motivos: é um conto simples; nunca havia lido nada da Carolina Munhóz; a história prende a atenção, porque nos faz questionar a identidade dos pais da protagonista. Gostei muito porque é uma leitura simples, que você faz em um piscar de olhos. Uma história bonitinha, que tem começo, meio e fim de maneira adequada. Um livro simples sim, com um toque de fantasia que só deixa o enredo mais especial. Recomendo.