12 de nov de 2013

Filme Tolkien & Lewis


Mais uma excelente indicação do site Tolkien Brasil.
Está em produção o filme Tolkien & Lewis, que irá abordar a história de ambos os escritores. O projeto conta com uma equipe que, em sua maior parte, já têm nome. Responsáveis pela produção executiva são Mark Cooper (dentre seus outros trabalhos estão Shakespeare apaixonado e A outra), Joan Lane (O discurso do rei).
O roteiro está a cargo de Jacqueline Cook e Paul Bryan. Quanto ao elenco, ainda não foram escolhidos os atores principais (nesse quesito, eles precisam ser bastante cuidadosos, já que, no mínimo, interpretar Tolkien e Lewis não é para qualquer um). No entanto, já foi divulgado o pôster oficial (acima).
Ainda não tem uma data especifica para o lançamento do filme, mas pode acontecer em algum momento de 2014 (ano que vem!!!!!!!) Agora só nos resta esperar.

Uma prova de amor (Emily Griffin)


Título: Uma prova de amor
Autora: Emily Griffin
Novo Conceito, 432p.

Claudia e Ben se conhecem num encontro às cegas armados por amigos em comum. Ela sempre disse que não queria ter filhos, desde pequena, e isso nunca mudou. Talvez esse tenha sido um dos fatores que acabaram com os seus antigos relacionamentos. Claudia, aos 31 anos, nem sabia mais se ainda conheceria um cara que tivesse o mesmo objetivo de vida que ela, ou seja, que também não quisesse ter filhos. Até Ben aparecer. Eles tem uma vida semelhante: adoram seus respectivos trabalhos, gostam de viajar, comer coisas exóticas e beber além da conta, eram bagunceiros e organizados, românticos e pragmáticos na mesma medida. Acima de tudo, os dois concordavam sobre um assunto que, na idade deles, virou tabu: ter filhos. Nenhum dos dois quer. Ela, acima de tudo, não sente essa necessidade que a maioria das mulheres na idade dele tem. Ele não vê isso como num defeito. Então, o relacionamento dá certo. Alguns meses depois do primeiro encontro, eles fogem e se casam, sem pompa nem circunstância, e sem suas famílias. A conversa em torno de filhos aparece com mais freqüência, e nenhum dos dois mudou de idéia, o que está tudo bem para ambos. Até que uma viagem com amigos muda tudo. Porque Annie estava grávida, e Ben começa a se interessar demais pelo progresso da gestação da amiga, chegando até mesmo a grudar uma foto do ultrassom na geladeira de casa. Ben resolve ser claro e dizer que quer ter filhos. Em um primeiro momento, Claudia leva na brincadeira, achando que o desejo do marido é momentâneo. Mas não é. A idéia começa a tomar forma na cabeça dele, enquanto ela continua nem querendo ouvir sobre o assunto. Em uma noite, sua maneira de falar deixa claro que ela realmente, completamente não quer ter filhos nunca muda algo em sua vida. Uma briga feia com o marido faz com que seu casamento acabe. Agora, Claudia precisa lidar com sua escolha, mesmo que isso custe o amor de sua vida. Será que ela vai mudar de idéia?

De várias formas, esse livro foi uma surpresa. Primeiro, porque já havia lido algumas resenhas, que não me chamaram nenhuma atenção. Segundo, porque como já disse, não sou chegada a romances desse tipo. Só precisei ler a sinopse com um pouco mais de atenção pra perceber que talvez ler esse livro não fosse uma má idéia, principalmente porque a protagonista fala de certas coisas nas quais eu também acredito ou também aprovo. Algumas partes são até engraçadas, porque fazem parte da realidade. Por exemplo, quando Ben e Claudia respondiam as perguntas de quando eles teriam filhos. As pessoas objetando convencê-los de que ter filhos é uma coisa boa, eles precisando aturar tudo, achei engraçado. Até porque me lembrou de certas coisas e pessoas e situações... Enfim. A linguagem não é formal, o que dá a narrativa um tom leve e bem, digamos objetivo, coisa que não espero encontrar em livros desse tipo. Gostei muito e recomendo.

De volta para casa (Karen White)


Título: De volta para casa
Autora: Karen White
Novo Conceito, 448p.

No meio da noite, Cassie recebe um telefonema e sabe que só pode ser notícia ruim. Sua irmã Harriet está lhe telefonando pra dizer que seu pai teve um ataque cardíaco e está morrendo. Ele quer as duas filhas com ele nesse momento, então Cassie se prepara para voltar a sua cidade natal. Logo chegando, ela dá de cara com uma das pessoas que não gostaria de voltar a ver de novo: Sam Parker. Foi ele quem entregou para ela um bilhete que confirmava a fuga de sua irmã com Joe quando eles estavam na faculdade, enquanto ela o esperava para o baile de outono, usando o anel de compromisso que Joe havia lhe dado. Seu carro acaba apresentado problemas, então Sam oferece uma carona. Ao chegar na casa de seu pai, o encontro com Harriet é no mínimo estranho, as perguntas são normais mas sem aquele toque de curiosidade e calor que deveria existir entre irmãs que não se vêem há mais de 15 anos. O que Cassie não sabe é da culpa que assola Harriet toda vez que ela ver a irmã, pois se sente responsável por ter afastado o pai da filha favorita. Seu pai tinha dois grandes desejos: um, era que as irmãs se acertassem novamente; outro, era que Cassie voltasse para Walton. Então, ele faz a única coisa que achava que possibilitaria isso: deixou de herança para ela sua casa e todos os seus pertences. Mas Cassie tem um noivo, que ficou em Nova York. Agora, ela precisa decidir se continua com sua vida antiga, ou se fica em Walton, além de precisar lidar com sentimentos guardados há muito tempo...

De novo, mais um livro que eu não estava preparada para que fosse gostar de ler. Eu não fazia idéia de que a história me prenderia, mas quando percebi, estava lendo avidamente pra descobrir mais sobre a história de Harriet, Sam e Cassie. Confesso que não sou chegada nesse tipo de leitura, com muito drama, mas esse livro foi agradável, apesar de triste (meu estômago embrulhava com cada parte triste). Nenhuma surpresa no final, a história terminou como eu esperava. Com as pitadas certas de drama e romance, apreciei bastante a leitura. Super indico.

11 de nov de 2013

Jardim de inverno (Kristin Hannah)



Título: Jardim de Inverno
Autora: Kristin Hannah
Editora Novo Conceito, 416p.

Meredith e Nina nunca se deram bem com a mãe. Desde pequenas, perceberam que a mãe não as suportava, no entanto, é apaixonada pelo marido. Já adultas, Meredith é casada, tem duas filhas e cuida dos negócios que envolvem as plantações da família, enquanto Nina se formou em Jornalismo e, com uma câmera debaixo do braço, viaja pelo mundo procurando “a foto”. Ela tem um companheiro, Danny, e eles trabalham juntos, viajando para lugares inóspitos. Um inesperado telegrama faz com que Nina e Meredith se reúnam novamente: seu pai teve um ataque cardíaco e não está nada bem. Agora, elas precisam se unir para proporcionar aos últimos momentos de vida de seu pai um pouco de tranqüilidade. Ele teme que a distância e o desapego que existe entre mãe e filhas possam crescer com sua morte, apesar de Meredith e Nina garantirem que irão tomar conta da mãe. Agora, elas só têm uma a outra, o elo que as unia não existe mais, e assim, as irmãs tentam de todas as formas cumprir a promessa feita ao pai. Mas antes precisam aprender a lidar com sentimentos guardados lá no fundo de seus corações, ao mesmo tempo em que redescobrem o valor de uma história contada pela sua sempre fria e serena mãe.

Uma família quebrada, que precisa de conserto. Foi a primeira frase que me veio a cabeça enquanto lia esse livro. È uma história de amarguras, mágoas, recomeço, mas acima de tudo é uma história de família e de perdão. Não nego, lagrimei e chorei em algumas partes, e na cena de falecimento, parecia que eu estava perdendo o chão, a mesma sensação experimentada por Meredith quando percebe que o pai está morto. Simplesmente, não dá para não sentir que faz parte da história, não dá para fingir que não se sente quase sem ar também, tão intensa é a cena. Aliás, a história toda. Li o livro em uma tarde. Sinceramente, pensei que demoraria mais pra ler, mas acabei ficando tão envolvida que nem vi que já tinha chegado ao fim. Gostei por que a história, longe de me atrair de primeira, conseguiu me prender até o final. Recomendo.

Brilhos (Sophia Bennet) – Fuxicando sobre Chick-lits



Tema: Capa que chamou a atenção
Mês: Novembro
Livro: Brilhos
Autora: Sophia Bennet
Ed. Intrínseca, 288p.

Crow agora é uma estilista famosa. Sua coleção criada para a Miss Teen é o maior sucesso, e Andy Elat espera repetir o mesmo sucesso com a nova criação da menina. O problema todo começa quando os desenhos não agradam ninguém. Crow é uma estilista peculiar (como todos os outros) e tem seus momentos de criatividade e de criação. Mas isso não parece satisfazer os empresários. Ao mesmo tempo em que Nonie, Edie e Jenny lidam com esse problema, as meninas ainda tem que lidar com a escola, com problemas pessoais e com uma bomba: surgiram rumores de que a coleção de Crow foi feita por crianças escravas na Índia. Essa confusão coloca um balde de gelo na relação entre as meninas e Amanda Elat. Eddie, então, se empenhar em descobrir a verdade, enquanto Jenny está mais empolgada com a peça que irá protagonizar e Nonnie se desdobra entre entender o que irão fazer no que diz respeito a coleção e um cara muito gato que se interessou por ela. Em uma viagem pra Índia, elas vêem que as fábricas de Andy usam mão de obra adequada, e sem querer, também descobrem o mistério do trabalho escravo infantil. Agora, elas precisam correr contra o tempo pra montar uma nova coleção e para ajudar as crianças que encontraram na viagem.

O livro é muito legal. A autora continua com sucesso a história que começou com Linhas, e Brilhos acaba sendo bem mais divertido. A confusão em que elas se metem quando Eddie praticamente apoia as denúncias contra o trabalho escravo, a indecisão de Nonie quando ela percebe que o cara gato não parece tão perfeito assim, a ansiedade de Jenny com a nova peça e com o fato de que irá contracenar com a namorada de sua ex-paixonite, é tudo descrito de uma forma tão leve que faz você desejar que o livro seja maior, só para você nunca parar de ler. Ansiosa pela continuação. Super indicado

4 de nov de 2013

Jessica rules the dark side (Beth Fantaskey)



Título: Jessica rules the dark side
Autora: Beth Fantaskey
Editora Harcourt Children’s Books, 320p.

Jessica, ou melhor, Antanasia e Lucius estão casados há pouco tempo e a princesa precisa aprender a lidar com seu novo status. Lucius está sempre ao seu lado, mas ela não tem certeza de poder cumprir seu papel do jeito correto. Ainda mais porque ela vive aterrorizada por Claudius e Flavius, dois anciões perigosos. Quando Claudius praticamente ameaça Antanasia, Lucius fica furioso. Mas o ancião aparece morto, e a culpa recai sobre Lucius. Agora Antanasia depende da ajuda de Mindy, Ranieri, Dorius e de sua prima para provar que seu marido é inocente. Enquanto Ranieri a treina, Mindy começa a por em prática seu plano para descobrir mais sobre as verdadeiras intenções da prima de Antanasia.

Eu estava louca para ler esse livro desde que soube que haveria uma continuação para a história de Lucius e Jessica. Não me decepcionei nem um pouco. A autora consegue manter o mesmo tom narrativo que usou no primeiro livro. Eu fiquei meio louca para saber quem era o verdadeiro culpado do crime, pensei em várias opções (até mesmo no verdadeiro culpado), mas como sempre descarto o improvável e no final da história acabo me surpreendendo. Gostei mais ainda porque fala um pouco mais do que rolou entre Mindy e Ranieri, uma coisa que ficou meio que “no ar” nos capítulos sobre o casamento de Lucius e Jessica. Gostei muito.

As vantagens de ser invisível (Stephen Chbosky) - DL 2013


Tema: Livros proibidos
Mês: Novembro
Título: As vantagens de ser invisível
Autor: Stephen Chbosky
Ed. Rocco Jovens Leitores, 223p.

Charlie é um adolescente diferente dos outros. Quieto e solitário, não tem amigos e nem vive grandes emoções. Ele escreve cartas para um amigo anônimo, contando sua vida, narrando tudo o que acontece com muitos detalhes. Charlie é bastante observador e sempre foi incompreendido e sensível. Ele é mais um expectador da vida do que ator nela, até conhecer Bill, Sam e Patrick. Bill e seu professor, que o apresenta a vários livros e histórias excelentes, Sam e Patrick são irmãos e se tornam amigos de Charlie, levando para festas e fazendo-o ter novas experiências. A partir daí, Charlie começa a experimentar mais e viver mais. Durante um ano, ele relata suas experiências nas cartas que escreve para esse amigo anônimo, suas relações familiares, seus romances. Tudo com um olhar de quem analisa os detalhes de cada situação.

Esse livro é diferente de tudo que eu li, apesar de ser uma história relativamente simples. As emoções de Charlie são a flor da pele, e quando ele escreve as cartas, ele realmente coloca tudo no papel, o que faz o leitor experimentar o mesmo que ele, com a mesma intensidade. Não é difícil se identificar, na verdade, porque todos os personagens têm características diferentes. Não nego, fui procurar o livro depois que ouvi muitos falando do filme, e não me arrependo. Recomendo a história.