25 de jan de 2013

Férias (Marian Keyes) – Fuxicando sobre Chick-lits


Tema: Chick-lit que eu tenho
Mês: Janeiro
Livro: Férias
Autora: Marian Keyes
Ed. Bertrand Brasil, 559p.

Rachel Walsh tem vinte e sete anos, está desempregada, foi dispensada por Luke e é obrigada a se internar em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos, após sua amiga tê-la encontrada desacordada e com um suposto bilhete suicida. Ela é levada de volta pela irmã e pelo cunhado para a Irlanda, onde o pai resolve interná-la. Rachel conhece pessoas interessantes na clínica, com problemas piores que os seus, e acaba se tornando amiga de alguns. Quando ela pensa que suas poderia sair após cumprir suas três semanas iniciais de internação, Luke e sua amiga Brigit aparecem na clínica para falar sobre sua dependência como parte da terapia de tratamento. Rachel perde as esperanças de sair e acaba tendo que ficar internada mais tempo que o previsto, finalmente aceitando que é sim uma toxicômana e conseguindo ver qual era realmente o relacionamento que tinha com as pessoas ao seu redor.

Um livro divertido, como a maioria dos livros da Marian Keyes. Férias é a sequência de Melancia, sobre a família Walsh. Neste livro, a protagonista é outra jovem Walsh. Rachel. De primeira, fiquei confusa, sem saber se ela realmente uma viciada ou não. Em parte, minha confusão se deveu totalmente ao fato da própria protagonista não se aceitar como viciada. Em minha opinião, esse é um dos pontos fortes da autora: o leitor se identifica tanto com o personagem que segue tudo pela perspectiva dele, estando certo ou errado, para depois esfregar a verdade na cara de ambos, leitor e personagem. Um chick-lit muito bom. O livro, mesmo tratando de assuntos sérios e reais, faz o leitor se acabar de rir. Totalmente indicado.

Morte súbita (J.K. Rowling) – DL 2013


Tema: Livre
Mês: Janeiro
Título: Morte súbita
Autora: J.K. Rowling
Ed. Nova Fronteira, 501p.

Na noite do seu aniversário de casamento, Barry Fairbrother cai morto na frente da esposa e de todos os freqüentadores do clube que, aquela hora da noite, estavam jantando e se divertindo no local. No dia seguinte, a notícia já correu toda a pequena cidade de Pagford: um dos conselheiros mais importantes havia morrido, e o choque para muitos é grande, enquanto para outros, a morte de Barry pode ser considerada até bem-vinda. É o caso de Howard Mollison, que vê na nova situação uma chance de “devolver” definitivamente o bairro de Fields a Yarvil e de fechar a clínica de reabilitação para dependência química que atende, na maioria, pessoas de Fields, além do fato da escola local ter que aceitar alunos de caráter duvidoso, também originários de Fields. A morte de Barry deixa a briga mais acirrada, já que seus partidários defendem a permanência da clínica, enquanto o lado oposto, liderado por Howard, seu opositor mais ferrenho, defende o contrário. A partir daí, a vida dos moradores de Pagford e Yarvil é mostrada nas figuras de, não somente, mas principalmente, Krystal, Bola e Andrew, adolescentes com seus próprios problemas que, de uma forma ou outra, tem a vida afetada pela morte de Barry.

Não posso dizer que foi uma leitura fácil. Li mais da metade do livro em um dia, principalmente porque queria saber qual era o tal clímax da história. Infelizmente, não consegui perceber nenhum. Os personagens não são marcantes, pelo menos não da forma que como o leitor está habituado nas histórias de Rowling, mas a história segue os moldes já conhecidos pelos fãs da autora: todos eles têm um lado obscuro que vem a tona no pior momento; existe uma história e um motivo que justifica suas personalidades egoístas. Um ponto negativo: o enredo falha quando começa se alongar. Mesmo não se perdendo em detalhes, a história se arrasta demais ao longo de mais da metade do livro, e só começa a melhorar nas últimas partes. Mesmo assim, vale a pena ler porque, como sempre, Rowling consegue surpreender o leitor.

Ink and Fairydust – Fantasy magic


Finalmente saiu a edição de julho-agosto de 2012 da webzine Ink and Fairydust. Há muito tempo eu esperava por ela porque seria uma edição dedicada aos meus amados escritores de fantasia, Tolkien, Rowling, Lewis e outros. Os textos são muito bons, valem a pena uma lida. É só se cadastrar no Issuu para ler ou fazer o download.

Light and darkness: the men of The Hunger Games (Femnista) III

Quando eu ainda nem sabia dessa nova série... Um artigo publicado na edição de Setembro-Outubro de 2011. 

Luz e escuridão: os homens de Jogos Vorazes (Light and darkness: the men of The Hunger Games) 
Autora (Author): Rachel Sexton.

 Desde que a popularidade de Harry Potter cresceu absurdamente, a categoria de livros conhecidos como jovens adultos tem aumentado para tornar-se uma seção principal rentável do mercado. A série Crepúsculo foi um enorme sucesso e o número de livros destinados a leitores adolescentes tem crescido ainda mais recentemente. Romance de fantasia e paranormal permanece fixo neste tipo de escrita, mas outro gênero surgiu e cresceu em popularidade: o thriller distópico. O personagem principal normalmente enfrenta um governo opressivo futuro e deve lutar por suas vidas e as das pessoas que amam. Um dos primeiros exemplos do boom da ficção distópica é um dos mais adorados da crítica e em breve terá sua adaptação cinematográfica própria. A trilogia Jogos Vorazes conduz um desenvolvimento diferente de personagem em meio a uma trama de ritmo agitado e os personagens Peeta e Gale deixam uma impressão única e memorável.
Jogos Vorazes começa em um desolado futuro próximo onde os Estados Unidos entrou em colapso e foi substituído por uma nação conhecida como Panem. Neste lugar, uma opressiva Capital governa sobre 12 distritos separados. Para manter rebeliões controladas, cada distrito é forçado a enviar um menino e uma menina entre as idades de 12 e 18 para uma luta até a morte na televisão chamada Jogos Vorazes.
Katniss Everdeen é a personagem central que conta a história em primeira pessoa. Ela tem sido a provedora de sua família desde a morte de seu pai em um acidente de mineração que causou o colapso mental de sua mãe. Embora sua mãe tenha se recuperado o suficiente para retomar suas atividades de enfermagem, ela ainda não é capaz de ser a principal fornecedora. Katniss caça bem e consegue ajudar a família evitar a fome; ela também tem um parceiro de caça em Gale, um menino que perdeu o pai no mesmo acidente que matou o dela. Ele é seu melhor amigo e um companheiro de sobrevivência.
Quando Katniss tem 16 anos, a Colheita que escolhe os competidores para os Jogos no seu distrito (chamado de Tributos) chama o nome de Prim. Sem hesitar, Katniss toma o lugar de sua irmã. O tributo masculino acaba por ser Peeta, o filho do padeiro local, que tem a mesma idade de Katniss. Ela lembra que no momento mais sombrio depois da morte de seu pai, quando a família estava prestes a morrer de fome, Peeta arriscou a ira de sua mãe e propositadamente queimou dois pães para dar a Katniss quando ela estava fraca e caída perto de sua casa. Este é o estado de interação entre Katniss e a relação com cada personagem masculino quando a trilogia começa, mas muitas mudanças estão por vir.
Gale é apresentado primeiro, mas Peeta aparece mais na primeira parte da história. Embora o leitor fique com Katniss o tempo todo, Peeta está bem estabelecido antes do início dos jogos. Publicidade envolve todos os tributos, com cada um recebendo estilistas pessoais e entrevistas televisionadas antes de serem transportados para a arena. A entrevista é o momento em Peeta revela a característica central de sua natureza: o seu charme. Ele é natural diante de uma câmera.
Ele é agradável, talentoso em manter o tom perfeito ao responder perguntas. É neste momento em que a história romântica da série começa, pois Peeta admite em entrevista que ele tem sentimentos por Katniss.
Eu não vou estragar a ação dos jogos para você, mas o drama de vida ou morte nunca acaba. Ao mesmo tempo, Katniss tenta discernir se seus sentimentos por Peeta são reais. No início, o problema é que eles estão todos na arena para matar uns aos outros, mas depois da Capital ter anunciado que os tributos masculino e feminino do mesmo distrito poderiam ganhar juntos, Katniss concentra-se em fazê-los sair de lá vivos. Todos os tributos são orientados por vencedores passados do seu distrito, e o dela é um alcoólatra de meia-idade, Haymitch. Katniss percebe que ele, através do timing dos presentes enviados para a arena, está mostrando a ela que um romance entre ela e Peeta é a melhor maneira de colocar Panem do seu lado e levar ambos de volta para casa. Ela encontra Peeta e cuida de seu ferimento grave, o tempo todo se perguntando o quanto de sua ligação será real após os jogos, assumindo que eles sobrevivam.
A segunda parte, Em chamas, começa logo após sua volta ao Distrito 12 e o romance muda para um triângulo quando Gale demonstra seu interesse em Katniss com um beijo.
Neste livro, o maligno presidente Snow ameaça os entes queridos de Katniss, incluindo Gale, se ela e Peeta não lutarem como uma equipe e jogarem pelas regras. Gale já está mostrando tendências revolucionárias, e é ele quem informa Katniss que o lendário Distrito 13, que se levantou contra a Capital e provocou a criação dos jogos vorazes depois de ser derrotado, não pode ter sido dizimado depois de tudo. Esta é a característica que define Gale: ele é um lutador. Ele sobrevive da caça com Katniss e fala abertamente contra as restrições da Capital.
Enquanto ele aparece mais em Em chamas, Gale não deixa tão claro para o leitor seus sentimentos por Katniss como Peeta, o que torna a decisão de escolher entre os dois jovens difícil. Mas o que acontece depois diz muito sobre cada um deles e deve ajudar o público a decidir com quem a heroína deve ficar. A trama permanece focada na ação, mas estes dois protagonistas masculinos foram habilmente movidos para lados opostos de um triângulo amoroso com a heroína.
A última parte, Esperança, prova ser definidora para estes dois rapazes. A recuperação de Peeta após o resultado do Massacre Quaternário é muito complicada e demorada, mas ele está ao lado de Katniss e Gale no reduto rebelde do Distrito 13, quando a revolução contra a Capital atinge o seu auge e acompanha os rebeldes quando eles vão para a própria Capital para terminar a opressão de uma vez por todas.
Gale se beneficia poderosamente da maior parte da história neste último livro e vemos que a mente estratégica que lhe serve tão bem como um soldado pode ter um tom austero e frio que verdadeiramente o distingue de Peeta. Gale tem fogo, “aceso com raiva e ódio, mas Peeta representa o amarelo brilhante que significa renascimento em vez de destruição.”
A representação física de Gale e Peeta espelha a diferença entre eles – Peeta é loiro e de estatura mediana enquanto Gale é alto e moreno. Ambos são bonitos, algo que o filme sem dúvida explora. Os atores que interpretam Peeta e Gale foram escolhidos completamente de acordo com a descrição no romance de sua aparência: Peeta é interpretado por Josh Hutcherson e Liam Hemsworth é Gale. Agora, cabe a estes dois artistas retratar as diferentes personalidades desses personagens como eles são escritos.
Como a Capital diz aos seus tributos, que a sorte esteja ao seu lado.

2 de jan de 2013

Desafio Fuxicando Sobre Chick-Lits



Por indicação da parceira Vanessa Pereira, do blog Diário de incentivo a leitura, Esse ano resolvi participar de outro desafio: o Fuxicando sobre Chick-lits, Como o nome diz, a leitura será de chick-lits, de acordo com o tema de cada mês. As regras e os temas podem ser conferidos no blog Livros e Fuxicos, da Pah Aleksandra. Na verdade, o post é da colaboradora do blog, Aione, do Minha Vida Literária, que é a criadora do Desafio.
Então, minha lista de leitura para o desafio (com alguns extras, caso eu não consiga a primeira opção) é:

Janeiro: Marian Keyes
Marian Keyes - Férias

Fevereiro: Meg Cabot
Meg Cabot – O presente da princesa

Março: Mulher independente
Jane Green - Os príncipes encantados de Libby Manson
Melanie Gideon – Esposa 22

Abril: Adaptação para o cinema
Sophie Kinsella - Delirios de consumo de Becky Bloom

Maio: Casamento
Marian Keyes – Casório

Junho: Casal, coração, referência ao amor e ao estar apaixonado
Stephanie Perkins - Lola And the Boy Next Door

Julho: Personagem na sinopse e com nome começando com a inicial do nome do leitor
Elizabeth Bernard – Ensaio de um beijo

Agosto: 400 páginas ou mais
Qualquer um da Marian Keyes ou da Sophie Kinsella

Setembro: Brasileiro
Paula Pimenta – Fazendo meu filme 2
Carina Rissi - Perdida
Carol Sabar - Como quase namorei Robert Pattinson

Outubro: Tema livre
Sophie Bennet - Linhas
Stephanie Perkins - Anna e o Beijo Frances

Novembro: Capa que chamou atenção
Sophie Bennet - Brilhos

Dezembro: Sophie Kinsella
Sophie Kinsella - Fiquei Com Seu o Numero

Desafio Literário 2013



Mais um ano participando do Desafio... Confesso que esse ano os temas foram meios difíceis para mim, porque não gosto da maioria das leituras, mas vou participar, virou vício já. De qualquer forma é um jeito de aproveitar para aumentar a estante com novas aquisições  Aí está minha lista.

Janeiro - Tema Livre
J.K. Rowling – Morte súbita

Fevereiro - Livros que nos façam rir
Érico Veríssimo –
Meg Cabot – Project princess

Março - Animais protagonistas
Colleen Houck - Maldição do tigre

Abril - Uma ou mais das quatro estações no título
Elizabeth Craft - Um verão inesquecível
William Shakespeare - Sonho de uma noite de verão

Maio - Livros citados em filmes
Lyman Frank Baum - O mágico de Oz (Coração de tinta)
Louisa May Alcott - Little women (Friends)
Homero - Odisséia (O leitor)

Junho - Romance Psicológico
Emily Bronte - Morro dos ventos uivantes

Julho - Cor ou cores no título
Jack London - Caninos brancos
Susan Hill - A mulher de preto

Agosto – Vingança
Thalita Rebouças - Fala sério, Filha! A vingança dos pais
Alexandre Dumas - O conde de Monte Cristo
Herman Melville - Moby Dick

Setembro - Autores Portugueses Contemporâneos
Margarida Rebelo Pinto – Artista de circo

Outubro - Histórias de superação
Marian Keyes –
Ben Sherwood - Morte e vida de Charlie St. Cloud

Novembro - Livros que foram banidos
William Shakespeare - O mercador de Veneza
Alexandre Dumas - Os três mosqueteiros
Malba Tahan - As mil e uma noites

Dezembro - Natal
Regina Jeffers - Christmas at Pemberley

TAG – Skoob: Minha estante virtual


2013 chegou. Mais um ano de muita leitura. Ao invés de um, dois desafios literários esse ano. Geralmente, faço uma retrospectiva das minhas leituras como primeiro post do ano, mas achei esse meme na página do facebook do Skoob e achei bem legal.

1-Quantos livros lidos você tem na sua aba LIDO no skoob?
251. Incluindo livros desde que me cadastrei no Skoob em 2010.

Lidos em 2012


2-Qual livro você está lendo?
Morte súbita, de J.K. Rowling.

3-Quantos livros tem na sua aba VAI LER?
143. Como vou participar de dois desafios literários e com certeza vou comprar mais livros esse ano, a lista com certeza vai aumentar.

4-Você está relendo algum livro? Qual é?
O ciclo da Herança, de Christopher Paolini.

5-Quantos livros você já abandonou? Quais são eles?
Vários, por motivos diferentes.

6-Quantas resenhas você tem cadastradas no skoob?
169.

7-Quantos livros avaliados você tem na sua lista?
220.

8-Na aba FAVORITOS, quantos livros você tem registrados? Cite alguns.
Nenhum. Nunca me toquei de marcar os favoritos. Vou mudar isso.

9-Quantos livros você tem na aba TENHO?
220. Pretendo aumentar essa lista em 2013.

10-Quantos livros você tem nos DESEJADOS?
57. Vai diminuir esse ano :)

11-Quantos livros emprestados no momento? Quais?
Não empresto meus livros.

12-Você quer trocar algum livro? Quais são?
Quero trocar 29. A maioria da série Crepúsculo.

13-Na aba META, quantos livros você tem marcados? Cumpriu essa meta?
Cumpri sim, ainda bem. Do total de livros na meta, pelo menos 28 eu teria que ler, já que participei do Desafio Literário 2012.

14-Qual é o número no teu paginômetro?
74.891.

15-Qual o link do teu perfil do Skoob?
http://skoob.com.br/usuario/104774/

Meme muito legal, indico a todos. E para quem ainda não tem, faça seu perfil e crie sua estante no Skoob. Uma rede social para leitores inveterados que vale muito a pena.