30 de jul de 2012

Contos de Meigan (Roberta Spindler e Oriana Comesanha)


Título: Contos de Meigan: a fúria dos cártagos 
Autoras: Roberta Spindler e Oriana Comesanha 
Editora Dracaena, 617p. 

Maya Muskaf está voltando para Meigan após um longo período de ausência. Há um tempo ela e sua mãe não se falam, ambas magoadas por brigas do passado. Agora, ela está de volta, ansiosa para ver Katur, capital de Meigan, e sua mãe Liza mais uma vez. No entanto, durante a viagem, a caravana da qual faz parte encontra um dos portões no Solo Sagrado destruído e corpos por todo o lado. Um dos mortos Maya reconhece muito bem e percebe que a situação é grave: os cártagos conseguiram invadir Katur, mesmo com os guardiões lutando para impedir. No meio da luta, a garota é salva por um deles e ambos correm para a cidade, mas acabam chegando tarde demais. Com a morte de sua mãe, Maya deve assumir o cargo de Shyrat, mas não se sente preparada para isso. Na verdade, o que ela mais queria era se vingar pelo assassinato da mãe, Embarcando em uma viagem louca, ela conhece Keyth e descobre mais do que gostaria sobre o guardião que a protege.Quando finalmente se sente preparada para assumir o cargo de sua mãe, um acontecimento inesperado faz com que seu mundo vire de cabeça para baixo. Será que Maya conseguirá derrotar os cártagos e assumir seu lugar como Shyrat? E o que será dos guardiões e Seth? 

Preciso falar desse livro por partes. Eu o descobri em um dos anúncios da editora Dracaena e de cara a capa me chamou a atenção. Fiquei muito mais surpresa quando vi que, além de um título nacional, as autoras eram paraenses (minhas conterrâneas!). E quando, em uma conversa pelo facebook com a Roberta, descobri que ela era fã de Tolkien, aí não teve como. Comprei em mãos com ela porque queria autografado (aliás, obrigada, Roberta, por ir me encontrar onde eu estava, já que o normal era eu ter ido onde você se encontrava. Só me arrependi de não ter tirado uma fotinho...), mas ainda demorei um pouco pra ler (a pilha de livros é grande). Comecei a ler e terminei em 3 dias. Amei a história toda. O livro contém todos os elementos que uma excelente fantasia deve ter: lugares sagrados, poderes sobrenaturais que regem o mundo, personagens enigmáticos e cativantes, dimensões paralelas, um romance proibido... Ok, essa última parte é mera suposição (que eu quero MUITO que se torne realidade). Talvez por saber que a Roberta é fã de Tolkien, eu vi muita influência do autor na história (na descrição de Anahat e Katur, por exemplo). Uma história que prende a atenção desde o início e deixa um gosto de quero mais, torna esse livro uma excelente leitura para os apaixonados por fantasia. Mil estrelinhas.

Lua das fadas (Eddie Van Feu)


Título: Lua das fadas
Autora: Eddie Van Feu
Editora Escala, 271 p.

Bianca e Analice resolvem brincar com o desconhecido. Em uma bela tarde de primavera, as duas amigas tentam desvendar os mistérios do tabuleiro oui-já. Elas conseguem se comunicar com seres do mundo encantado, mas Bianca só percebe que alguma coisa saiu errada quando ela procura Analice e não a encontra. A polícia é chamada, mas a investigação não resultada em nada, já que até mesmo Bianca não sabe explicar o que aconteceu. Ela pede ajuda aos anjos para encontrar sua amiga. E seu pedido é atendido. Pistas começam a aparecer e um anjo chamado Zacariel aparece para ajudá-la. Ele a instrui e a leva para o mundo dos seres encantados, mas antes de começar a busca, eles precisam encontrar um elixir que fará com que ela volte para casa sem que o tempo tenha passado (o tempo do mundo real é diferente do tempo no mundo encantado). Assim, a busca começa. Zacariel e Bianca passam por vários perigos, ao mesmo tempo em que a menina precisa constantemente ser lembrada que não pertence aquele lugar. Os dias passam e as aventuras constantes acabam aproximando o casal. Bianca descobre a verdadeira identidade do anjo e encontra sua amiga, mas anda sai como o planejado. 

Depois deste livro, nunca mais duvido de um livro sobre anjos. Não que eu tivesse um pé atrás com este tipo de história, mas nunca teve um apelo forte (na realidade, a única obra com essa temática que eu gostei na vida foi O Paraíso Perdido, de John Milton). Eddie Van Feu é conhecedora da magia, já escreveu vários livros sobre o assunto, e isso está latente na obra. O livro é muito bom e prende a atenção, já que a curiosidade em saber se Bianca vai conseguir voltar pra casa é muita (existem muitas tentações no caminho dela). Além disso, as ilustrações de Caroline Mylius também contribuem pra isso. Duas surpresas boas que eu tive: a primeira, com a identidade do anjo Zacariel (ou Zac), a segunda com Analice (já que o objeitvo é encontrar a menina e voltar pra casa). O final da história me deixou em choque completo e só nesta parte entendi quando Eddie me disse que teve uma leitora que chorou demais. Eu também chorei, mas de incredulidade. Tive que reler várias vezes para conseguir assimilar. O final não foi o que eu esperava, mas eu gostei. Uma história muito boa e uma leitura que prende a atenção fazem deste livro uma excelente escolha para os interessados em conhecer o mundo dos seres encantados.

24 de jul de 2012

O livro das cartas encantadas (Índigo)


Título: O livro das cartas encantadas: a correspondência secreta das princesas
Autora: Índigo
Editora Brinque-Book, 159 p.

Uma fada chamada Gwenhyfar guardou consigo durante séculos a correspondência trocada entre Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve. Bella vive confinada no palácio para que a maldição da fada má não se realize, Cindy vive em um sótão poeirento e é obrigada a virar empregada da madrasta, e Branca foge da própria mãe que queria matá-la por ser a mais bela do reino. Com as datas e localidades de onde foram escritas, as cartas trocadas entre elas (cujos mensageiros eram animais) revelam toda sua intimidade: Bella estava frustrada por viver presa dentro do próprio palácio, Cindy não agüentava mais a vida de criada e Branca passou a viver com os anões depois que aprendeu a lavar e cozinhar para pagar sua “estadia”. Longe do romantismo da Disney, cada uma delas faz de um tudo para buscar seu final feliz.

Um livro impagável. Pelo título, achei fosse livro estrangeiro. Tive uma surpresa quando vi que era uma publicação de autora brasileira, e fiquei ainda mais curiosa, até porque nunca tinha visto nenhuma “mexida” boa em contos de fadas por autores brasileiros. Esse livro foi o primeiro.Este livro é muito divertido. Logo de cara, já existe uma observação da fada guardiã acerca do conteúdo das cartas e do motivo que a levou a guardar. Tais observações são entremeadas com as cartas no intuito de explicar alguns acontecimentos.
As princesas que se correspondem, Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve estão bem longe de serem as mesmas que conhecemos (pintadas na nossa imaginação por Walt Disney). A despeito de algumas mudanças bem visíveis, as vidas delas não mudaram nada do que nós já conhecemos. O que eu mais gostei foram as datações e localizações fornecidas em cada carta. Um paralelo legal: todos os locais onde as princesas vivem se encontram na Alemanha, não por acaso, país dos irmãos Grimm. Adorei.

23 de jul de 2012

J.K. Rowling (Sean Smith)


Título: J.K. Rowling: uma biografia do gênio por trás de Harry Potter
Autor: Sean Smith
Editora Sextante, 175 p.

Uma biografia não autorizada da vida de Rowling. Quando nasceu, como era sua família, qual livro e história despertou em Rowling o interesse pela leitura, seus amores e dissabores, o nascimento de sua filha, a criação de Harry Potter, a primeira publicação e o conseqüente sucesso. Tudo isso é abordado no livro de Sean Smith, em uma linguagem bastante acessível.

Como todo livro sobre Harry Potter e sua autora, este é fascinante. Talvez porque a autora sempre manteve certo ar de mistério, o que não deixa de ser notável, numa cultura onde a internet não permite mais segredos (são raras as ocasiões em que ela fala de sua vida particular, não existem fotos dela e de sua família espalhadas em sites de fofoca, coisas desse tipo). Então, foi muito bom saber mais sobre sua vida, sobre os acontecimentos que desempenharam um papel tão significativo em sua vida que estão presentes nos acontecimentos mais marcantes da história do menino bruxo, Foi ótimo conhecer sua incerteza quanto a publicação e sucesso do livro. Um livro muito indicado para qualquer fã de Harry Potter.

22 de jul de 2012

Uma análise criteriosa da série Harry Potter (John Hougthon)



Título: Uma análise criteriosa da série Harry Potter: virando e fazendo a cabeça das nossas crianças
Autor: John Hougthon
Editora Candeia, 109 p.

Em uma análise (im)parcial de Harry Potter, Houghton afirma que J.K. Rowling deve ser parabenizada pelo conjunto de sua obra e por ser uma escritora talentosa, ao considerar o contexto da vida da autora em que o primeiro livro surgiu: uma mãe divorciada batalhando para sustentar a si mesma e sua filha bebê que senta para escrever num café em um de seus passeios rotineiros. A obra também é parabenizada pois o mundo de Harry é “um mundo moral, que traça linhas entre o bem e o mal... [onde] as vitórias não são baratas; existe um preço a ser pago, lições a serem aprendidas e escolhas devem ser feitas que acarretam consequências.” O autor considera que uma obra literária fantástica invoca um mundo imaginário diferente do nosso, e tal fato pode ser bom ou ruim, no entanto, Harry Potter pende para o lado ruim. Em suas considerações, o autor faz referência a outras obras literárias e a história e discursa sobre a magia de Harry Potter, bruxas e misticismo para expor sua visão pessoal sobre o que os pais devem ou não permitir a seus filhos lerem. Ao comparar Harry Potter com a Bíblia, ele afirma que enquanto no primeiro o bem e o mal são iguais, na segunda Deus (bom) está acima do Diabo (mal). Ao alertar o leitor para não se cometer “o erro idiota” de achar que o amor mostrado em Harry Potter é cristão, já que nesse caso, Harry deveria perdoar seus inimigos. 

Um título que pode (ou não) ser faca de dois gumes. Tudo depende da interpretação do leitor. O livro mostra no início, comparações plausíveis e equilibradas, mas o autor falha no quesito da imparcialidade. Apesar de em nenhum momento afirmar que “a série pode/deve ser lida por crianças” ou “a série não pode/deve ser lida por crianças”, algumas vezes parece simplesmente que ele está tentando evangelizar o leitor. De forma geral, uma leitura fácil e esclarecedora.

15 de jul de 2012

O soldado da luz (Thiago da Costa)


Uma nova divulgação, desta vez do livro
O soldado da luz, de Thiago da Costa.

Elden ajuda Estriges, uma antiga amiga de infância, a fugir da fogueira a qual foi condenada por ser bruxa. Em uma visão, ele vê um casal em um ritual sendo atacados por vultos negros. Já em segurança, escondidos dos soldados do rei que estavam a sua procura, Elden questiona Estriges e ela conta que o casal eram Luiz Landon II, um rei bastante respeitado, e Heloa, uma bruxa poderosa, ambos no centro de um pacto que simbolizava a paz entre homens e bruxos. Esbat, irmão de Heloa, ataca o grupo e mata Luiz, fazendo com que os bruxos da época fossem consumidos pelo pacto, ficando presos em outro mundo até que o herdeiro de Esbat os liberte. Assim, Elden descobre o papel que deverá desempenhar para evitar que o herdeiro de Esbat volte e transforme o mundo em trevas.

Uma excelente história de aventura, misturando meus elementos favoritos: bruxos, magia, humanos e criaturas fantásticas variadas. O autor, Thiago da Costa, fez a cortesia de me enviar o ebook. Demorei pra ler por causa da minha dificuldade com ebooks, mas valeu. Uma história muito boa contada através de uma linguagem acessível. Recomendado.

Para saber mais sobre o autor e seu livro, é só espiar seu blog, T C Santana.

Um amor em Paris (Tela Guimarães Castro)


Título: Um amor em Paris
Autora: Telma Guimarães Castro
Editora Quinteto, 95 p.

Vera e Mariana são amigas. Uma mora na parte mais tradicional da cidade, enquanto a outra vive na parte simples. Mariana namora Carlos, enquanto Vera namora o primo deste, Vítor. Na escola, é Mariana quem salva Vera na hora da redação, já que nisso ela é fera. O problema todo começa quando Vera começa a insistir para que a amiga escreva cartas apaixonadas para Vítor no lugar dela. Só por curiosidade (e um pouquinho de inveja também), Mariana pede para ler as cartas que Vítor manda para a amiga para saber o que escrever de volta. Vera permite, sem saber que Mariana está interessada no seu namorado. As cartas vão sendo enviadas, e Mariana sofre ao ver o amor que Vítor declara para Vera devido as cartas que “ela” escreve. Quando ele sofre um acidente, as duas correm para o hospital e Vera é tratada como a heroína que fez Vítor acordar do coma, quando na verdade quem estava com ele na hora era Mariana. Quando o menino acorda, quer saber quem o ajudou. Será que ele descobre? E Mariana, será que ela fica com Vítor ou com seu ex, Carlos, que ainda mexe com seu coração?

Um livro muito bom, Eu já havia lido uma história semelhante (menina se apaixonado pelo namorado da amiga, escreve cartas pra ele fingindo ser ela), só que mais carregada de drama. Esta aqui é leve, com drama na medida certa. Também é o segundo livro que leio com a temática de cartas sendo trocadas na Paris brasileira. Muito bom, leitura divertida. Recomendo a todos que gostam de escrever cartas.

Mulheres, mitos e deusas (Martha Robles)



Título: Mulheres, mitos e deusas: o feminino através dos tempos
Autora: Martha Robles
Editora Aleph, 443 p.

Um livro detalhista na descrição das diversas faces da identidade feminina. Através de fontes literárias, históricas e mitológicas, o autor apresenta várias figuras femininas, de vários tipos: fadas, bruxas, rainhas, santas, artistas. Antígona, Cassandra, Isolda, Sherazade, Catarina de Médici, Virgem Maria, Eva, Ísis, Hera, Virgínia Woolf, Simone de Beauvoir, só para citar alguns nomes de mulheres cujas vidas são retratadas neste excelente livro, que faz o leitor conhecer até que ponto os valores femininos são marginalizados e o quanto eles resistem às imposições patriarcais. Leitura muito indicada para historiadores, feministas e todos aqueles que se interessem pelo feminino.

O guia dos hieróglifos egípcios (Richard Parkinson)


Título: O guia dos hieróglifos egípcios
Autor: Richard Parkinson
Editora Madras, 120 p.

Um guia para escrever utilizando os famosos hieróglifos egípcios. O autor faz um breve histórico sobre essa forma de escrita antiga. Repleto de ilustrações, este livro ensina ao leitor quais são os símbolos mais importantes e o significado de cada um deles, além de como decifrá-los. Uma leitura interessante, indicado a quem quer que se interesse pelo assunto.

9 de jul de 2012

No dia 20 de julho dê livros de autores nacionais de presente


O blog O desejo de Lilith lançou essa campanha em 2011 com o objetivo de incentivar a leitura de autores nacionais. Pois bem, o projeto deu tão certo que esse ano a campanha está no ar de novo. Até o dia 20 de julho, quem quiser pode comprar vários (e excelentes livros) de autores nacionais por um preço promocional. A lista toda de autores que participam da promoção está neste link.

Dentre os livros que fazem parte da promoção, quero ressaltar alguns aqui:


A série Guardians, da parceira Luciane Rangel:
Qualquer um por R$25,90 + frete grátis (com direito a marcadores e brindes exclusivos)
Informações: escritora@lucianerangel.com


Contos de Meigan: a fúria dos cártagos e Tratado secreto de magia II, da conterrânea Roberta Spindler.
O primeiro por R$35,00 e o segundo por R$15,00.
Informações: contosdemeigan@gmail.com


Equinócio: a primavera, da parceira Lu Piras.
R$28,00 + frete grátis.
Informações: penelope.jane.br@gmail.com / @LuPiras80

Claro que a lista de livros indicados é maior. Só ressaltei aqui alguns dos meus favoritos. Dêem uma olhada, vale muito a pena.

Guardians - volume 1 (Luciane Rangel)


Título: Guardians – volume 1
Autora: Luciane Rangel
Editora Lexia, 359 p.

Anne é uma jovem rica que vive com o pai e uma governanta que a trata como filha. Orfã de mãe, ela carrega para todo lado um pingente com o símbolo zodiacal de Cãncer, herança materna. É justamente por causa desse pingente (e do que pensam que ela é devido à posse do objeto) que sua casa é invadida por um demônio youkai, Para salvá-la, entram em cena Mau (de Maurício, o taurino) e Shermmie (a leonina). A partir daí, Anne descobre que é uma Guardiã e que faz parte de um grupo de 12 jovens humanos que tem “poderes” e que devem se unir para fechar a barreira aberta que permite a passagem dos youkais para nosso mundo. Junto a Shermmie e Maurício, ela viaja para o Japão, onde Sophie, sua filha Hikari (ariana) e Hayato (Sagitário) estão á espera dos outros Guardiões. Sophie, uma ex-guardiã de Áries, deve treinar a nova geração para combater os youkais. Ao mesmo tempo em que treinam, eles também devem lidar com problemas pessoais: Micaela (Gêmeos) e Maire (Libra) estão juntas, mas Mau não sabe e o primeiro flerte com Marie o indispõe com a outra; Sophie vive às voltas com a filha, tudo é motivo de discussão; Hikari precisa lidar com a antipatia do guardião de Capricórnio; e Anne tenta entender a antipatia gratuita de Sophie para com ela. À medida que o treinamento prossegue, eles também enfrentam youkais. Outros romances surgem, ocorrem tristes perdas e Anne continua tentando buscar respostas para suas perguntas, percebendo que nem tudo em sua vida de menina rica é o que parece.

Um livro que surgiu de uma fanfic. Hoje em dia isso parece ser tão comum, levando em consideração a quantidade de “sequências” das obras de Jane Austen. Algumas são muito boas, outras nem tanto, enquanto outras são... bom, deixa pra lá. Foi uma surpresa quando soube que o livro, ou melhor, a trilogia de Luciane Rangel havia surgido como uma fanfic que ganhou vários fãs. Aí me pergunto: onde eu estava que não conhecia essa fanfic? Porque faz tempo que vivo na internet, buscando e lendo esse tipo de produção literária. A resposta para essa pergunta reside aí mesmo: minha (quase total e completa) ignorância sobre a produção literária oriental. Eu nunca havia perdido meu tempo (é, isso mesmo) com fanfics sobre o universo dos mangás e animes, e coisas assim. Ok, a fanfic da Luciane não surgiu de mangá nem de anime, mas tem bastante influência da cultura japonesa. As ilustrações logo denunciam isso. Ah, as ilustrações. Outro ponto alto do livro são os desenhos da Claudia Coelho. Foi outra coisa que me chamou a atenção, além do próprio título e do fato de ter a ver com os elementos do zodíaco. Com uma narrativa pra lá de divertida, personagens muito interessantes e uma missão tão complexa quanto os acontecimentos que a rodeiam fazem deste livro para jovens uma excelente pedida.

2 de jul de 2012

Corações em fase terminal (Fabiane Ribeiro)


Título: Corações em fase terminal
Autora: Fabiane Ribeiro
Ebook, 117 p.

Cátia sempre foi uma criança normal. Filha única de um casal que sempre quis ter filhos, criança feliz e aluna exemplar, se transforma em uma pessoa totalmente diferente entrar no mundo das drogas. Sua mãe, sem que o pai desconfie, resolve procurar ajuda de um professor especialista em jovens dependentes químicos. Depois de mais uma briga com seus pais e em um rompante de fúria, ela destrói o próprio quarto. Cansada, cai na cama e é aí que tudo começa a mudar. Seu quarto desaparece e quando Cátia abre os olhos, ela se sente muito bem. Em um novo ambiente, ela percebe que a imagem que contempla no espelho é a de uma jovem desgrenhada, em nada correspondente a ela própria. Ao abrir uma bela caixa dourada, Cátia percebe a fonte da dor que sente desde que acordou. Ela conhece Tadeu, que a leva para passear e fornece as explicações que ela busca sobre seu coração, a Caixa Sagrada e a cidade em que eles se encontram. Cátia vai aprender que os corações das pessoas que vivem neste lugar diferente governam os rumos que suas vidas tomam. Cada coração precisa de um tempo para se adaptar a seu novo ofício. Enquanto isso, ela espera para ver quem ocupará um dos quartos ao lado do seu. Quando a pessoa aparece, Cátia sente que a conhece de uma lembrança antiga. Ela e Lorena se tornam grandes amigas, ambas sentindo que já se conhecem. Um sentimento maior toma conta dela quando o quarto à direita é ocupado e assim, seu coração começa a ser curado. Quando as lembranças voltam e a jovem consegue recordar as escolhas erradas que fez, ela deve tomar uma decisão: continuar no caminho errado, machucando ainda mais seu coração? Ou ela irá finalmente reconhecer seus enganos e tentar encontrar a felicidade?

De quantas formas podemos machucar nossos corações?
Uma história para pensar somada a uma leitura leve resulta em um livro excelente. Através de uma história linda, Fabiane Ribeiro mostra as várias facetas do coração humano. De pedra, com manchas, ardendo em chamas, devorado pelo que existe de pior, assim são os corações mostrados. Um é endurecido, outro é manchado, e ainda outro é devorado por larvas. Existe também um coração que sangra e outro sem forma. Apesar desses defeitos, cada um tem uma missão única. Confesso que só fui entender o título no final... Também devo dizer que as descrições da cidade, do Santuário e de todos os lugares me lembraram muito o filme Nosso Lar (eu quase chorei). Uma história perfeita. Livro muito recomendado.


A história do alfabeto (John Man)


Título: A história do alfabeto
Autor: John Man
Editora Ediouro, 268 p.

Desde a sua origem até como conhecemos hoje, o alfabeto é estudado de maneira clara e acessível neste livro. O autor traça uma rota desde o surgimento dos hieróglifos no Egito até os dias atuais para escrever a história do alfabeto. O livro também apresenta uma árvore genealógica do nosso alfabeto, além de amostras de alguns alfabetos importantes, como o hieroglífico, fenício, grego, etrusco, dentre outros. O livro de John Man é uma excelente indicação para todos aqueles que, como eu, se interessam por esse aspecto da história da humanidade que, mesmo não tão reconhecido, desempenhou papel fundamental na construção das maiores sociedades do mundo.

1 de jul de 2012

As meninas de Lygia Fagundes Telles – DL 2012


Tema: Prêmio Jabuti
Mês: Julho de 2012
Leitura do mês: As meninas
Autora: Lygia Fagundes Telles
Editora Cia. Das Letras, 304 p.

Três amigas, tendo como ponto em comum a solidão, vivendo na época dos governos militares. Enquanto Lia briga com o regime, Ana Clara está metida com drogas e Lorena, a mais rica, vive ajudando as amigas com o dinheiro do papai. As três meninas compartilham um pensionato de freiras, que não cansam de se surpreenderem com o estilo de vida das três. Lia, Ana Clara e Lorena são personagens conflitantes, o que se demonstra através de suas reflexões interiores constantes. A isso, soma-se a miséria cultural da época.

O livro de Lygia Fagundes Telles proporciona uma leitura fácil e a linguagem é leve. A história não é vulgar, apesar de complexa. O mais legal é que é fácil se identificar com qualquer uma das três meninas, mesmo a época que se vive seja outra. Além de ser fácil se identificar com a luta pela liberdade, luta esta que todos travam uma vez na vida. Um belo livro, uma história para pensar.