16 de jun de 2011

Macbeth de William Shakespeare – DL 2011



Tema: Peças teatrais

Mês: Junho de 2011 (Livro II)

Título: Macbeth

Autor do livro: William Shakespeare

Editora: Agir

Nº de páginas: 720

Sinopse: Em três volumes, a tradução hoje clássica de Carlos Alberto Nunes das peças de William Shakespeare (1564-1616). São 34 peças, entre comédias, tragédias e dramas históricos, daquele que é considerado o maior poeta da língua inglesa e o maior autor de teatro da literatura ocidental. Carlos Alberto da Costa Nunes nasceu em São Luís do Maranhão, a 18 de janeiro de 1897. Escritor, poeta, teatrólogo, traduziu a partir das línguas originais clássicos como Homero e Shakespeare.

Quando vi a capa do livro, o que mais chamou a minha atenção foi… novamente o título, dizendo que eram as obras teatrais completas de Shakespeare.

Eu escolhi este livro porque… era outro livro de Shakespeare sobre o qual eu tinha uma curiosidade danada. Eu também queria saber, ao escolher quatro livros de Shakespeare para o desafio (dois como reserva) porque Tolkien, meu autor favorito, não gostava muito do autor.

A leitura foi… difícil, como a de Hamleth, por causa da dificuldade que eu tenho em ler peças teatrais. A obra é outra tragédia, e a história é envolvente, como toda tragédia, A cada momento é uma morte, justificada (não é essa a palavra exata) pela morte anterior. Como em Hamleth, eu também gostei por causa das fontes de Shakespeare para esse livro, são as coisas que eu gosto de ler e estudar.

O personagem que eu gostaria de ter ajudado é Macbeth, gostaria de tê-lo ajudado a entender a profecia das bruxas.

O trecho do livro que merece destaque:quando a profecia se cumpre.

A nota que eu dou para o livro: 5

Hamleth de William Shakespeare – DL 2011



Tema: Peças teatrais

Mês: Junho de 2011 (Livro I)

Título: Hamleth

Autor do livro: William Shakespeare

Editora: Agir

Nº de páginas: 720

Sinopse: Em três volumes, a tradução hoje clássica de Carlos Alberto Nunes das peças de William Shakespeare (1564-1616). São 34 peças, entre comédias, tragédias e dramas históricos, daquele que é considerado o maior poeta da língua inglesa e o maior autor de teatro da literatura ocidental. Carlos Alberto da Costa Nunes nasceu em São Luís do Maranhão, a 18 de janeiro de 1897. Escritor, poeta, teatrólogo, traduziu a partir das línguas originais clássicos como Homero e Shakespeare.

Quando vi a capa do livro, o que mais chamou a minha atenção foi… o título, dizendo que eram as obras teatrais completas de Shakespeare.

Eu escolhi este livro porque… nunca havia lido nada de Shakespeare, além de Romeu e Julieta. Na verdade, nunca gostei de ler nem teatro nem poesia. Também nunca gostei de R&J, e acho que por isso nunca havia pensado em ler Shakespeare. Mas já havia lido sobre a história de Hamleth e gostei, então tive que ler a peça.

A leitura foi… difícil, porque, como disse, não gosto de ler teatro nem poesia. Prefiro uma narrativa, digamos assim. Mas a história é uma tragédia, o que é legal. É uma história de vingança, o filho vingando a morte do pai assassinado. Eu gostei porque a história é bem diferente do que até hoje estava acostumada: o drama de Romeu & Julieta. Claro, as temáticas das duas histórias são bem diferentes, só comparo porque esta última era a única obra de Shakespeare que havia lido. Hamleth é bacana porque fala de traições e intrigas palacianas, a história dá uma reviravolta quando a gente menos espera. E também as fontes textuais identificadas pelos estudiosos são exatamente o tipo de coisa que eu gosto de estudar. Também parece que não há espaço para romance, já que o príncipe Hamleth está focado em sua vingança.

O personagem que eu gostaria de ter entendido mais foi o próprio Hamleth, no sentido de entender porque ele querendo se vingar, ainda pensa duas vezes antes. Dizendo melhor, eu queria entender mais o aspecto psicológico da obra.

O trecho do livro que merece destaque:a parte em que Hamleth mata o tio.

A nota que eu dou para o livro: 5